Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 08 de setembro de 2017. Atualizado às 18h45.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Carlos Pires de Miranda

Gastronomia

muito prazer

Notícia da edição impressa de 08/09/2017. Alterada em 06/09 às 20h57min

Da serra gaúcha ao Caribe

CLEITON THIELE/DIVULGAÇÃO/JC
Vamos combinar que, para quem pode, desde quinta-feira, vivemos um apetitoso feriadão. Dias oportunos para uma escapada a Nova Petrópolis, por exemplo, onde o famoso Colina Verde é apenas uma dentre boas opções de culinária alemã. Ou para conhecer o bom elenco de restaurantes que participam da oitava edição do Sabores de Canela, que já me atraiu em anos passados e que costuma reservar agradáveis surpresas gastronômicas aos visitantes, na forma de pratos criativos por preços promocionais - em todos, doces ou salgados, é obrigatória ao menos uma pitada de canela.
Eis alguns restaurantes que conheço e que, até dia 30 de setembro, integram o festival: Galangal, Magnólia, Containner Bistrot - que apresenta essa moranga caramelada com canela, ragu de ossobuco, farofa crocante de panko e tomilho (foto 1) - e o Mirabelle, do Hotel Continental, que sugere costela suína ao molho barbecue com canela (foto 2). A lista dos menus, de restaurantes e todas as receitas estão disponíveis em www.saboresdecanela.com.br.
Voos mais altos, com mais tempo, podem levar o leitor a Aruba, onde, há três décadas, quando estive lá, o pargo vermelho (foto) já era o peixe mais apreciado. Agora, acontece a segunda edição do Eat Local - Mês da Gastronomia em Aruba. No ano passado, sua duração foi estendida, e o evento passou a ser realizado durante todo o mês de outubro. A ilha tem mais de 200 restaurantes, e os famosos Azia Restaurant & Lounge, Faro Blanco e Passions on the Beach estão entre os participantes. A regra é servir almoços e jantares entre US$ 15,00 e US$ 30,00.

Pão tem que ser bom e novinho


DIVINO FOGÃO /DIVULGAÇÃO/JC
Para mim, essa é uma regra, e o pão que fugir dela não chegará à minha mesa. Há exceções, como uma boa baguette parisiense, que você pode degustar à noitinha e usar para um sanduíche prensado, ou simplesmente aquecido no forno. Fora disso... E como estamos a uma escala e várias horas de voo de Paris, nada melhor do que produzir seu próprio pão, especialmente se a receita for de fácil execução, como a que está seguir. No restaurante que a enviou, já provei, e fica bom. Experimente!
Pão caseiro de presunto e queijo
Ingredientes (cinco porções):
  • 20g de fermento fresco
  • 200ml de água morna
  • 500g de farinha de trigo
  • 3 colheres (sopa) de açúcar
  • 1 ovo
  • 100g de margarina à temperatura ambiente
  • sal e orégano
  • 200g de presunto fatiado
  • 1 tomate picado
  • 250g de Mozzarella em fatias
  • 1 gema
Modo de preparar:
  1. Em uma tigela, dispor fermento, água morna, açúcar e misturar.
  2. Adicionar 1 xícara da farinha, misturar bem e deixar descansar por 20 minutos. Acrescentar ovo, margarina, misturar bem. Aos poucos, polvilhar farinha e depois sal.
  3. Após misturar bem, sovar por 15 minutos e deixar a massa em repouso por mais 30 minutos.
  4. Em uma superfície enfarinhada, abrir a massa, sobrepor presunto em tiras, tomate picado, queijo fatiado e uma pitada de orégano. Enrolar a massa envolvendo o recheio e fechar bem.
  5. Levar o pão a uma fôrma untada, fazer cortes na parte de cima e pincelar com a gema.
  6. Levar ao forno aquecido a 180°C por 40 minutos, aumentar a temperatura para 220°C e assar por mais 25 minutos, ou até ficar dourado.
Observação: fornos e fogões não são iguais, o tempo para assar pode variar, fique de olho!

As caves estão na moda

Cave Larentis, no Vale dos Vinhedos

Cave Larentis, no Vale dos Vinhedos


EDUARDO BENINI/DIVULGAÇÃO/JC
Conheço várias em nossa Serra e fora dela, cada qual mais linda, instigante, às vezes misteriosa. Sim, os subterrâneos das vinícolas são cheios de histórias, carregam algumas lendas, mas sempre serão lugares agradáveis para conhecer ou fazer uma degustação. Esta, aliás, é a proposta da Villa Francioni, modelar vinícola de São Joaquim, que consegue manter constante durante todo o ano a temperatura média de 12°C em sua cave, que inclui sala para degustação (foto). Reservas: (49) 3233-8200 ou www.villafrancioni.com.br.
No Vale dos Vinhedos, a novidade vem da Larentis, que acaba de inaugurar sua cave (foto) e faz questão de mostrá-la aos visitantes. É ali que os vinhos terão condições ideais de temperatura, em busca de sua melhor evolução. O espaço tem capacidade para 80 mil garrafas e 150 barricas.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia