Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 04 de outubro de 2017. Atualizado às 21h31.

Jornal do Comércio

JC Logística

COMENTAR | CORRIGIR

Montadoras

Notícia da edição impressa de 05/10/2017. Alterada em 04/10 às 18h37min

Toyota investe R$ 1,6 bilhão e aposta no Yaris

Akio Toyoda, CEO da Toyota, na apresentação da nova versão do compacto Yaris Hybrid

Akio Toyoda, CEO da Toyota, na apresentação da nova versão do compacto Yaris Hybrid


/MIGUEL MEDINA/AFP/JC
A Toyota anunciou um investimento de R$ 1,6 bilhão em suas fábricas de Sorocaba e de Porto Feliz, no interior de São Paulo. As unidades serão preparadas para a produção de um novo modelo, o compacto Yaris. O carro será lançado no segundo semestre de 2018 e terá como concorrentes, entre outros, o novo Volkswagen Polo e o Honda Fit.
A fábrica de Sorocaba (a 99 quilômetros de São Paulo), onde hoje são feitos os compactos Etios, receberá R$ 1 bilhão. Serão instalados equipamentos e ferramentais para a montagem do Yaris. Dedicada à produção de motores, a unidade de Porto Feliz (a 118 quilômetros de São Paulo) receberá R$ 600 milhões para aumentar sua capacidade de 108 mil para 174 mil unidades por ano.
Carro global da Toyota, o Yaris chegará ao Brasil primeiro em versão hatch, mas a opção sedã será lançada em seguida. A empresa deve oferecer o novo modelo com opções de motorização 1.5 e 1.8, ambas flex, que hoje equipam os modelos Etios e Corolla, respectivamente. A montadora japonesa investiu R$ 4,2 bilhões no País desde 2012 e agora confirma sua aposta na retomada do mercado interno.
No acumulado de janeiro a agosto de 2017, as vendas cresceram 5,3% em relação a igual período de 2016, de acordo com dados da Anfavea (associação nacional das montadoras). No início deste mês, a associação afirmou que prevê que os licenciamentos chegarão a 2,2 milhões de unidades no ano, o que representa uma alta de 7,3% sobre 2016. A estimativa anterior indicava elevação de 4%. No ano passado, a produção nacional de veículos caiu 11,2% ante 2015 e voltou ao patamar obtido em 2004. Com a retomada das vendas, diversas empresas do setor têm se movimentado.
Na semana passada, a sul-coreana Ssangyong disse que vai retornar (pela terceira vez) ao mercado brasileiro. A nova fase da operação está sob o controle do grupo JLJ, por meio da Venko Motors. O contrato de parceria estabelecido com a fabricante vale por 10 anos. Segundo o governo do Rio de Janeiro, a Man também confirmou investimento de R$ 1 bilhão para a sua fábrica em Resende, no interior fluminense.
Em agosto, foi a vez de a Volkswagen anunciar investimento de R$ 2,6 bilhões na fábrica de Anchieta, em São Bernardo do Campo (Grande São Paulo). O valor será utilizado na modernização das linhas de montagem, onde começa a ser produzido o hatch compacto Polo. No primeiro trimestre de 2018, será iniciada a produção do sedã Virtus.
A General Motors também já anunciou que vai investir R$ 4,5 bilhões nas suas unidades em São Caetano do Sul (São Paulo), Joinville (Santa Catarina) e Gravataí (RS). Os valores fazem parte dos R$ 13 bilhões em investimentos planejados até 2020 pela multinacional no País, que já foram anunciados em 2014. A francesa Renault, por sua vez, disse que vai injetar R$ 750 milhões na ampliação da fábrica de motores e na construção de uma nova unidade no complexo de São José dos Pinhais (PR).
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia