Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de agosto de 2017. Atualizado às 23h57.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

polícia federal

Notícia da edição impressa de 11/08/2017. Alterada em 10/08 às 21h21min

PF pede mais 15 dias para fechar inquérito contra Aldemir Bendine

A delegada da Polícia Federal (PF) Renata da Silva Rodrigues pediu, nesta quinta-feira, ao juiz federal Sérgio Moro mais 15 dias para concluir a investigação do inquérito contra o ex-presidente do Banco do Brasil e da Petrobras Aldemir Bendine. Também são alvos da PF os irmãos André Gustavo e Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior, apontados como operadores de Bendine.
"A Polícia Federal, por intermédio da autoridade policial signatária, representa ao MM. Juízo da 13ª Vara Federal de Curitiba/PR, com fulcro no artigo 66 da Lei n] 5.010/66, pela prorrogação, por mais 15 dias, do prazo para conclusão desta investigação, uma vez que pendentes os trabalhos periciais", argumentou a delegada da PF.
Bendine, André Gustavo e Antônio Carlos Vieira da Silva Júnior foram presos em 27 de julho na Operação Cobra, 42ª fase da Lava Jato. O ex-presidente da Petrobras é suspeito de receber R$ 3 milhões em propina da Odebrecht. Segundo a delegada, "o farto material arrecadado em 27 de julho encontra-se sob processamento".
"Desde então, material arrecadado continua sob processamento, sendo que até então foram produzidos os Laudos nº 1500/17, 1517/17 e 1520/17, sendo necessário, portanto, prorrogação de prazo para esgotamento dos trabalhos periciais", registrou a delegada Renata da Silva Rodrigues.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia