Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de agosto de 2017. Atualizado às 15h23.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

Partidos

10/08/2017 - 15h15min. Alterada em 10/08 às 15h27min

PSDB tem novo embate após vídeo admitir 'erros' do partido

Vídeo mostra depoimentos falando de erros do partido confrontando com acertos do passado

Vídeo mostra depoimentos falando de erros do partido confrontando com acertos do passado


Psdb/youtube/divulgação/JC
A decisão do PSDB de usar a propaganda do partido exibida em redes de rádio e TV para pedir desculpas à sociedade e dizer que errou foi foco de mais uma crise entre os tucanos na reunião da Executiva Nacional da legenda, realizada nesta quarta-feira (9), em Brasília. Quase uma semana depois de os senadores Aécio Neves (MG) e Tasso Jereissati (CE) selarem a paz em acordo pela presidência da sigla, os caciques voltaram a se dividir.
No encontro da cúpula, parte dos tucanos mostrou irritação ao avaliar negativamente a inserção divulgada nesta quarta na internet. Parlamentares ligados a Aécio entenderam o vídeo como uma afronta ao mineiro. O senador foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR) por pedir R$ 2 milhões à JBS, dos irmãos Wesley e Joesley Batista.
Além disso, uma das razões da insatisfação é que alguns tucanos se sentiram expostos a pouco mais de um das eleições. Outro foco de descontentamento veio dos membros do partido que assumiram cargos de ministros no governo Michel Temer. Isso porque o texto da inserção trata o erro com uma questão de "agora", sem mencionar exatamente sobre qual assunto se refere. "O PSDB acertou quando criou o Plano Real, mas agora errou", diz a narradora em um dos trechos do vídeo, como adiantou o Estado. A crítica é de que o roteiro abre espaço para que a população entenda o apoio a Temer como um dos equívocos.
Tasso rebateu as críticas. O presidente da sigla argumentou que este é o momento para fazer um aceno de autocrítica à população, mesmo que o apontamento aos erros não seja específico. A ideia é de que os tucanos tentem se diferenciar de outras legendas e do PT. Segundo relatos, o senador cearense argumentou que existia uma cultura do caixa 2 na política brasileira e que é necessário admitir esses erros. Esse deve ser um ponto discutido na íntegra do programa, que será exibida no dia 17.
A propaganda tucana foi elaborada pelo publicitário Einhart Jacome, ligado a Tasso. Ele trabalhou para o senador de 1986 a 1994, época em que Tasso foi governador do Ceará. Após esse período, Jacome foi convidado a trabalhar na campanha presidencial de Fernando Henrique Cardoso. No vídeo completo, o PSDB também deve fazer um mea-culpa por não ter feito a defesa do modelo parlamentarista no Brasil, sistema que foi rejeitado em plebiscito de 1993.
Ainda assim, alguns tucanos pressionam para que o roteiro seja alterado antes de sua veiculação. Ao final da reunião, outros caciques pediram para ver o conteúdo completo. Os tucanos irritados acusam Tasso de ter autorizado a exibição sem consultar a cúpula. Um grupo de parlamentares próximos a Tasso diz, porém, que foram convidados por ele para assisti-lo há duas semanas. O senador Cássio Cunha Lima (PB) confirmou ter visto a inserção.
Aécio foi um dos que negaram ter conhecimento do teor do vídeo. "Na verdade, não participei dessa elaboração. Acho que é uma tentativa de uma reconexão do PSDB com a sociedade. Vamos aguardar o programa, vamos discutir ainda os textos que estão sendo propostos para o programa, mas eu acho que é uma tentativa do ponto de vista de comunicação de mostrar que, além dos acertos que nós tivemos e não foram poucos, certamente alguns equívocos o PSDB cometeu", minimizou. A afirmação é rebatida por aliados de Tasso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia