Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de agosto de 2017. Atualizado às 23h57.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR

artigo

Notícia da edição impressa de 11/08/2017. Alterada em 10/08 às 21h19min

Modernização do sistema de inspeção

Gabriel Souza
Ao propor a modernização do sistema de inspeção sanitária e industrial dos produtos de origem animal, o governo busca alavancar o setor da proteína animal no Estado. Atualmente, a área possui ampla demanda represada de projetos que buscam ampliar a planta produtiva do Rio Grande do Sul e, a partir disso, gerar mais emprego e renda, além de aprimorar a qualidade dos produtos e a saúde da população.
A proposta do Executivo espelha-se em sistemas de fiscalização e inspeção já existentes nos principais países produtores de carne do mundo, como Austrália, Nova Zelândia e Estados Unidos. A inserção de médicos veterinários privados, habilitados e fiscalizados pelo Estado para a realização da inspeção industrial e sanitária, é uma prática recorrente nestes países, e tem o aval da Organização Mundial de Saúde Animal.
Do ponto de vista sanitário, o projeto gaúcho é ainda mais ousado e rigoroso ao solicitar autorização legislativa para que a Secretaria da Agricultura possa contratar um órgão independente para auditar o sistema de fiscalização e inspeção, seus processos e os produtos oriundos dos mesmos. A realização de auditorias verifica o próprio sistema, garantindo credibilidade e melhoria contínua.
O novo sistema de inspeção tem o apoio das federações e dos trabalhadores da agricultura (Farsul e Fetag), das indústrias (Fiergs), dos municípios (Famurs), do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária (Fundesa) e de entidades do setor da proteína animal (SIPS, Sicadergs, Asgav, Apil, Accsurs, Sindilat). Esta anuência nos dá certeza que há amadurecimento para votarmos a matéria que, ao ser aprovada, trará inestimáveis melhorias ao nosso sistema de inspeção.
A partir deste projeto, um dos setores mais importantes da economia gaúcha crescerá, aumentando receitas públicas e o número de empregos.
Médico veterinário e deputado estadual (PMDB)
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia