Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de agosto de 2017. Atualizado às 10h18.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Operação Lava Jato

10/08/2017 - 10h18min. Alterada em 10/08 às 10h21min

Vice-presidente do Equador depõe voluntariamente e se diz vítima no caso Odebrecht

O vice-presidente do Equador, Jorge Glas, que se diz vítima de uma perseguição política da oposição, depôs voluntariamente, nessa quarta-feira (9), na procuradoria sobre seu suposto vínculo com a rede de corrupção da Odebrecht. Esta é a terceira declaração voluntária de Glas, que também está envolvido numa investigação sobre o mau uso de recursos públicos na concessão de um campo de petróleo. Na semana passada, o presidente Lenin Moreno retirou todas as suas funções.
Depois de quase sete horas de depoimento, Glas disse a presidencialistas que "isso claramente obedece a uma agenda política de oposição, em que lamentavelmente está envolvida a controladoria geral do Estado". "Anuncio ao país que mais ataques estão por vir", completou. A Odebrecht reconheceu ter pago cerca de US$ 33,5 milhões a funcionários públicos equatorianos em troca de concessão de obras. No processo foram detidos o tio de Glas, um ex-ministro de Eletricidade e vários ex-dirigente da petroleira estatal Petroecuador.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia