Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 11 de agosto de 2017. Atualizado às 17h02.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

astronomia

11/08/2017 - 16h48min. Alterada em 11/08 às 17h07min

Chuva de estrelas cadentes será vista nesta madrugada em todo o mundo

O fenômeno deve acontecer entre 4 e 6 horas desta madrugada

O fenômeno deve acontecer entre 4 e 6 horas desta madrugada


kjpargeter / Freepik/Divulgação/JC
Uma chuva de estrelas cadentes, os raios dourados que descem o céu e duram poucos segundos, poderá ser vista na madrugada deste sábado (12). O fenômeno previsto é o da entrada dos meteoros 'Perseidas' no planeta e terá maior evidência nas localidades mais ao norte do globo.
No Brasil, quem estiver acordado nas regiões Norte e Nordeste verá mais nitidamente a chuva. A visão no Sudeste será menor, e mesmo assim dependerá do céu e horizonte limpo. O fenômeno deve acontecer entre 4 e 6 horas desta madrugada.
A causa da chuva de estrelas cadentes Perseidas é a passagem da Terra pela trajetória do cometa swift - tuttle. "Um cometa deixa pedacinhos, deixa meteoros por onde passa. Quando o planeta atravessa esse caminho, alguns meteoros entram na terra. O raio de luz, a estrela cadente, é sinônimo do meteoro se queimando devido a seu atrito com a atmosfera", explica Roberto Costa, professor de Astronomia da Universidade de São Paulo (USP).
Nesta madrugada, espera-se uma grande quantidade de meteoros. "Uma média de um por minuto", afirma Costa. Essa é a grande diferença em relação a outras épocas. "Todos os dias caem meteoros sobre a Terra, mas em intervalos muito longos, e quase imperceptíveis. Hoje haverá uma chuva de meteoros", diz o professor.
Segundo Costa, no Brasil será um pouco difícil de ver. "Há um certo alarde sobre essa chuva porque nos informamos muito pelo noticiário do hemisfério norte, onde, desta vez, a visualização será expressivamente melhor que a do hemisfério sul", afirma.
O nome Perseidas está relacionado ao ponto de origem dos meteoros, que neste caso vêm do norte, da Constelação de Perseus. É exatamente por isso que a visualização da chuva é maior nas regiões mais ao norte do globo. Em outras épocas, os meteoros Orionídeas podem ser vistos na altura das estrelas Três Marias. Já os Leonídeas, quando caem sobre a Terra, são mais evidentes na direção nordeste do céu.
A chuva de meteoros não representa risco ao planeta porque eles são pequenos. Seria um problema apenas se esses meteoros não se dividissem e, com grande diâmetro, caíssem sobre a Terra. "Mas esse risco é praticamente irrelevante", diz Costa.
Ainda que as Perseidas sejam menos evidentes no hemisfério sul, alguns truques podem ser usados para favorecer a aparição.
O professor da USP sugere que se procure um local com menos prédios e árvores, de onde se veja melhor o horizonte. Quanto mais escuro e mais limpo, melhor. A Lua não será uma aliada: em fase minguante, deve prejudicar um pouco a visão porque é outro ponto de luz no céu.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia