Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 06 de agosto de 2017. Atualizado às 10h30.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

literatura

Alterada em 06/08 às 10h33min

Obra de Caio Riter vence Prêmio AGES como Livro do Ano 2017

Riter (e) foi o grande premiado da noite, com a obra Cecília que amava Fernando

Riter (e) foi o grande premiado da noite, com a obra Cecília que amava Fernando


CAROLINE DA SILVA/ESPECIAL/JC
Caroline da Silva
Na noite de sábado (5), estiveram reunidos no auditório Barbosa Lessa do Centro Cultural CEEE Erico Verissimo (CCCEV) amantes dos livros e da leitura para a entrega do Prêmio AGES (Associação Gaúcha de Escritores) - Livro do Ano 2017. Durante a cerimônia, foram conhecidos os livros eleitos pelos escritores associados da AGES como vencedores em cada uma das oito categorias desta que foi a 15ª edição da premiação: narrativa longa (romance ou novela), narrativa curta (conto ou miniconto), poesia, literatura infantil, literatura juvenil, cronica, não ficção e especial.
Os autores mais votados entre seus pares, para cada gênero definido, receberam um troféu criado pela artista plastica Lilia Manfroi. O título que teve mais votos, independentemente de categoria, foi Cecília que amava Fernando, Editora da Cidade, de Caio Riter, também vencedor em Juvenil. O autor recebeu o Prêmio AGES/Sintrajufe-RS e R$ 1 mil. Riter destacou seus concorrentes, Christopher Kastensmidt e Doralino Souza da Rosa (este último foi seu aluno de oficina literária), dedicou o prêmio à esposa e ressaltou a persistência dos autores, neste momento delicado em que o investimento em cultura é pífio por parte dos governos, e comentou a ameaça à manutenção do Programa de Leitura Adote um Escritor, que a prefeitura desenvolvia há 16 anos na Capital, junto às escolas.
Todos os premiados, inclusive, se manifestaram a favor da continuidade do projeto em seus discursos no palco, no momento de recebimento dos troféus, declarando-se parte da iniciativa #souadote, cujo manifesto da Associação pode ser lido no site da entidade.
A pré-seleção dos três finalistas em cada gênero literário – dentre os mais de 80 títulos inscritos, publicados em primeira edição por autores gaúchos ou residentes no Rio Grande do Sul no ano de 2016 – foi feita pela comissão julgadora integrada pelas professoras Alessandra Flach (doutora em Literatura Brasileira pela Ufrgs), Ângela Rolla (professora da Ulbra, doutora em Literatura Brasileira) e Vera Hass (doutora em Literatura Brasileira pela Ufrgs).
O evento foi embalado por canções do autor Chico Buarque interpretadas por Dudu Sperb (voz) e Toneco da Costa (violão), como Tem mais samba, Morena dos olhos d’água, Joana Francesa, Mil perdões e Vai passar.
O Prêmio AGES conta com a parceria do Sindicato dos Trabalhadores do Judiciário Federal do RS (Sintrajufe-RS) e do Centro Cultural CEEE-Erico Verissimo. Eliana Falkembach Leonardi, diretora do Sintrajufe-RS, declarou que o Sindicato está sempre ao lado da cultura, e apesar da crise, enquanto for possível, apoia iniciativas desse feitio, incentivando o saber e a leitura: “Acho que o único jeito de encararmos esse mundo tão esquisito, não sei exatamente que palavra usar, é ter conhecimento e ter cultura”.
Já o presidente da AGES, escritor Christian David, agradeceu os apoiadores e foi incisivo quanto à conjuntura atual: “Quero começar dizendo que nós não vamos recuar um milímetro, não vamos nos curvar. O que tiverem que tomar de nós vão tomar a força, porque vamos levar a cultura adiante, vamos fazer com que ela seja valorizada, continuar com os projetos da AGES, ganhando espaço e valorizando os escritores de nosso Estado. Sabemos que a desculpa da crise é forte, mas não aceitamos desculpas para deixar para trás o que realmente faz com que a sociedade, as comunidades mudem e sejam melhores”. O presidente afirmou que continuarão a empunhar suas bandeiras: “Vamos continuar a nossa causa, tivemos nesta semana algumas batalhas a travar e vamos seguir em todas as esferas” (referindo-se à participação da Associação na Frente Parlamentar de Incentivo à Leitura, na quarta-feira passada (2) à noite, na Câmara Municipal).
CAROLINE DA SILVA/ESPECIAL/JC
 Vencedores da 15ª edição do Prêmio AGES. Caroline da Silva/Especial/JC

Confira a lista completa dos vencedores:

Não ficção
  • O sargento, o marechal e o faquir, de Rafael Guimaraens, Editora Libretos
Categoria Especial
  • A força do tempo: Histórias de um repórter fotográfico brasileiro, de Kadão Chaves, Editora Libretos
Narrativa curta
  • Idioma de um só, de Ricardo Koch Kroeff, Não Editora
Narrativa Longa
  • A ponta do silêncio, de Valesca de Assis, BesouroBox
Crônica
  • A persistência do amor, Rubem Penz (organizador), Editora Buqui
Poesia
  • Cenas mínimas, de Maria do Carmo Campos, Libretos
Juvenil
  • Cecília que amava Fernando, de Caio Riter, Editora da Cidade
Categoria Infantil
  • Bichológico, de Paula Taitelbaum, Editora Piu
Premio AGES/Sintrajufe-RS
  • Cecília que amava Fernando, de Caio Riter, Editora da Cidade
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia