Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 11 de agosto de 2017. Atualizado às 00h02.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

Fifa

Notícia da edição impressa de 11/08/2017. Alterada em 10/08 às 21h32min

Mesmo sem jogar, Brasil ultrapassa Alemanha e volta ao topo do ranking

Apesar de não disputar uma partida desde junho, quando realizou amistosos em Melbourne contra Argentina e Austrália, o Brasil reassumiu a liderança do ranking da Fifa, atualizado nesta quinta-feira pela entidade que comanda o futebol mundial. A seleção nacional chegou aos 1.604 pontos e ultrapassou a Alemanha, que caiu para o segundo lugar, com 1.549, apesar de ter conquistado, também em junho, o título da Copa das Confederações, na Rússia.
A Alemanha teve descontados os pontos que somou em julho de 2016 pela conquista da terceira posição da Eurocopa, realizada na França. Campeão da competição, Portugal, por sua vez, caiu da quarta para a sexta posição em razão do descarte dos pontos somados com o título inédito. Os franceses, que amargaram o vice-campeonato continental em casa naquela ocasião, desceram do nono para o décimo lugar.
A Argentina, que ocupa apenas a quinta posição das eliminatórias sul-americanas, se manteve no terceiro posto do ranking da Fifa, com 1.399 pontos, e agora passou a ter logo atrás dela a Suíça e a Polônia, novas respectivas quarta e quinta colocadas. Estes dois países foram beneficiados pela queda de Portugal ao sexto lugar. A quarta posição, por sinal, é a segunda melhor já atingida pelos suíços desde a criação do ranking da Fifa, em 1993.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia