Porto Alegre, segunda-feira, 11 de setembro de 2017. Atualizado às 21h21.

Jornal do Comércio

COMENTAR | CORRIGIR

Construtoras

Notícia da edição impressa de 12/09/2017. Alterada em 11/09 às 21h19min

Cyrela Goldsztein dá ênfase à inovação

Empresa está preparada para um 2018 forte, diz Jornada

Empresa está preparada para um 2018 forte, diz Jornada


CYRELA GOLDSZTEIN/CYRELA GOLDSZTEIN/DIVULGAÇÃO/JC
É praticamente impossível falar em estagnação do mercado imobiliário se o ponto de partida da análise é o momento da Cyrela Goldsztein em Porto Alegre. Nas últimas semanas, a incorporadora entregou à cidade três grandiosos projetos - uma das torres do Medplex Santana, no bairro homônimo, além dos prédios Axis Nova Carlos Gomes e Porto Alegre Incomparável, ambos no Petrópolis. E ainda houve fôlego para o lançamento de um novo edifício - o residencial NY,205, no Auxiliadora.
Além dos produtos entregues agora, a empresa segue com pelo menos outras seis obras em andamento no Estado. Uma delas, por exemplo, é o Axis Triple Business, no Boa Vista, que combina hotel, prédio de escritórios e centro de convenções. Uma inovação bem de acordo com a proposta diferenciada da empresa. "Urbanismo não é só pensar em construir prédios diferentes, redondos, quadrados ou triangulares. É preciso pensar em alternativas de negócios imobiliários. Aí (no Triple Business) você está falando em hotelaria, empreendimentos office e corporativos. Tudo isso é urbanismo e também sustentabilidade", afirma o diretor de Incorporação e Novos Negócios da Cyrela Goldsztein, Ricardo Jornada.
Essa busca constante de inovação dentro do mercado imobiliário tem sido uma das principais características da empresa - uma das maiores do ramo da construção, com cerca de 5 mil colaboradores no País. Essa posição também depende de uma análise detalhada das expectativas dos clientes, segundo Jornada. "Uma das artes, na incorporação imobiliária, é você poder oferecer aquilo que as pessoas podem ter. Você fazer coisas maravilhosas, mas inacessíveis à população, não adianta. Temos no Brasil, especialmente em Porto Alegre, algumas limitações, tanto de renda como de população. Atuamos no centro do mercado, fazemos coisas para a classe A e também para a B e a C", destaca o diretor.
Jornada admite que o contexto de recessão econômica e instabilidade política teve seu impacto sobre a empresa nos últimos anos. Segundo ele, o momento foi enfrentado com cautela e planejamento. "Fomos a primeira empresa do mercado brasileiro que reconheceu os problemas gerados pelo boom imobiliário, ou seja, o estouro de custo de obra e o excesso de estoque. E administramos isso com mão de ferro. Corremos riscos comerciais, mas não corremos riscos nem jurídicos nem financeiros", resume o diretor, acrescentando: "Tivemos o último balanço trimestral complicado, mas daqui para a frente a empresa deve, cada vez mais, gerar caixa e navegar acima da onda. Nós fizemos a travessia. Estamos preparados, sim, para um ano forte em 2018".
A busca pela inovação é considerada, nesse contexto, a melhor resposta às adversidades da economia. "É vital ser inovador em meio à crise. Se tem algum lado positivo numa crise, é exatamente aquele que te obriga a pensar e encontrar novas saídas. As zonas de conforto são muito contagiantes para você fazer mais do mesmo. Não tem nada mais insano do que você fazer sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes", observa Jornada.
As mudanças no comportamento dos consumidores, especialmente os mais jovens, também estão na pauta da Cyrela Goldsztein para o futuro, na visão do diretor. "O conceito de propriedade está mudando. A geração mais recente valoriza menos as raízes. São pessoas do mundo, que ficam menos tempo no mesmo emprego. Se isso é verdade, menos essas pessoas comprarão um imóvel", projeta Jornada. "As empresas têm de estar pensando nesses conceitos novos, de compartilhamento, de novas formas de financiamento, ou de fornecer o imóvel. São muitos questionamentos que uma empresa como a nossa tem de estar fazendo o tempo todo."

Conceitos contemporâneos ganham destaque

NY,205 permite integração ou separação das unidades
NY,205 permite integração ou separação das unidades
CYRELA GOLDSZTEIN/DIVULGAÇÃO/JC
O lançamento mais recente da Cyrela Goldsztein em Porto Alegre representa uma aposta concreta na flexibilidade. O NY,205, com previsão de entrega em dezembro de 2019, se propõe a ser o primeiro residencial da cidade a contar com o conceito My Plan, que permite a integração ou a separação das unidades ao longo do tempo. São seis opções de plantas moduláveis, de 43 a 127 metros quadrados, com a possibilidade de combinações de um a três dormitórios. A própria rede elétrica foi planejada de forma que os pontos possam atender tanto os apartamentos individuais como as junções. "Isso para nós significa sobrevivência: encontrar novos caminhos o tempo todo. Precisamos inovar sempre, buscar novos segmentos", ressalta Ricardo Jornada.
Outra inovação importante foi entregue à cidade na segunda quinzena de agosto: o Axis Nova Carlos Gomes, no Alto Petrópolis. O projeto foi apresentado como o primeiro em Porto Alegre a ser concebido como um back to back. Ou seja: os prédios comercial e residencial são construídos de costas um para o outro, em um volume único, mas com entradas e fachadas independentes - o comercial está voltado para a avenida Senador Tarso Dutra, e o residencial, para a rua Curvelo, no lado oposto.
A proposta vai permitir, por exemplo, que os proprietários morem e trabalhem no mesmo local. E também que o estacionamento, destinado às duas torres, seja aproveitado de forma mais racional, em um serviço chamado Smart Parking - um sistema de ocupação rotativa com funcionamento 24 horas, para proprietários e visitantes. "Isso é extremamente moderno. As pessoas vão compartilhar as vagas de garagem, o que reduz custos, agride menos o solo e também ajuda a desobstruir as ruas", descreve Jornada, para quem o projeto está de acordo com a ideia de sustentabilidade urbana: "As cidades vão ficar melhores, mais civilizadas. Você vai racionalizar o uso dos recursos naturais, que é algo em que temos de pensar sempre".
Vizinho do Axis no Petrópolis, também acaba de ser entregue o residencial Porto Alegre Incomparável. Como o nome indica, a ideia é de que o panorama a ser vislumbrado dos apartamentos seja o mais amplo possível, abrangendo uma boa parte da paisagem da cidade. "É um prédio mais tradicional, mas incomparável porque tem a vista mais espetacular que Porto Alegre pode ter, no ponto mais alto da cidade", explica Jornada.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Antiga p agina Inicial

Acesse o caderno especial online