Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 29 de agosto de 2017. Atualizado às 23h08.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

varejo

Notícia da edição impressa de 30/08/2017. Alterada em 29/08 às 20h46min

Entidades discutem medidas para o desenvolvimento do setor

O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS), Vitor Augusto Koch, foi recebido, na manhã de ontem, pelo presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn. Durante a reunião, foram debatidas medidas que podem ser tomadas em nome do desenvolvimento econômico do Estado e pelo fortalecimento do comércio.
No ato, foi feita a entrega de uma carta assinada por lojistas gaúchos na qual constam medidas corretivas de políticas públicas com o objetivo de promover a retomada do crescimento econômico do Estado e do País. A agenda positiva quer combater a falência das contas públicas, a elevada carga tributária e juros, além de impedir os escândalos de corrupção de agentes públicos. O documento foi elaborado em encontro de presidentes de CDLs e diretores distritais, realizado no início de agosto, em Novo Hamburgo.
Também entrou em pauta a iniciativa pioneira da FCDL-RS em propor o uso digital para comunicação de consumidores inadimplentes. A proposta tem como objetivo tornar mais ágil, acessível e efetiva ao consumidor a prévia comunicação de que seu nome está em vias de ser negativado pela falta de pagamento de determinado débito, tendo em vista que a comunicação poderá ser realizada por escrito, por qualquer meio idôneo a lhe dar ciência da dívida, inclusive por meio eletrônico, SMS e WhatsApp. Hoje, esse processo é feito exclusivamente por meio impresso. O objetivo é tornar a reivindicação um projeto de lei na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia