Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 21 de agosto de 2017. Atualizado às 09h34.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

Alterada em 21/08 às 09h36min

BC da Alemanha prevê que crescimento econômico continue forte no país

A economia alemã deve manter sua tendência de crescimento forte no trimestre atual, diante das exportações do setor industrial do país, segundo relatório do Banco Central da Alemanha, o Bundesbank. A perspectiva deve ser positiva para a chanceler Angela Merkel, antes das eleições de 24 de setembro em que ela buscará um quarto mandato.
Os comentários são divulgados após dados oficiais da semana passada mostrarem que a economia alemã cresceu 0,6% no segundo trimestre ante o primeiro e avançou 2,1% na comparação anual. O escritório oficial de estatísticas do país, o Destatis, deve publicar dados detalhados do crescimento econômico nesta sexta-feira (25).
"O forte impulso econômico na economia alemã deve prosseguir no terceiro trimestre, com a produção industrial provavelmente continuando a ter um papel importante, graças à substancial expansão nas exportações", afirmou o Bundesbank em seu relatório mensal.
O BC alemão disse que o sentimento recorde no setor manufatureiro, a força das novas encomendas e um alto número de encomendas ainda previstas sugerem que a produção industrial "deve crescer significativamente de novo no trimestre atual".
O Bundesbank apontou ainda que os acontecimentos recentes no setor de construção sugerem desaceleração. Para os consumidores, porém, a perspectiva segue positiva, em meio a uma perspectiva forte para o mercado de trabalho e a renda.
"A economia alemã no ano atual poderia, portanto, se sair ainda um pouco melhor que o apontado na projeção de junho", afirmou o Bundesbank. Em junho, a instituição previu crescimento de 1,9% neste ano, após ajustes.
O BC também notou que as informações disponíveis sugerem que as discussões sobre a proibição de carros movidos a diesel mais antigos em algumas cidades não afetaram significativamente a avaliação sobre as condições das companhias do setor automotivo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia