Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 11 de agosto de 2017. Atualizado às 18h47.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Mercado Financeiro

Alterada em 11/08 às 18h52min

Petróleo fecha em alta, impulsionado por fraqueza do dólar

Os contratos futuros de petróleo encerraram o pregão desta sexta-feira (11), em alta, impulsionados pela fraqueza do dólar. Influenciaram ainda as negociações os dados da Agência Internacional de Energia (AIE), que saíram na madrugada, e o relatório semanal da Baker Hughes.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o petróleo WTI para setembro fechou em alta de US$ 0,23 (+0,47%), a US$ 48,82 por barril. Na semana, houve queda de 0,42%. Na Intercontinental Exchange (ICE), o petróleo Brent para outubro fechou em alta de US$ 0,20 (+0,39%), a US$ 52,10 por barril. Na semana, houve alta de 0,17.
Durante a manhã, os preços do petróleo operaram em queda, influenciados pelo relatório mensal da AIE. A agência afirmou que revisões dos números de 2015 mostravam um corte em sua estimativa para a demanda global por petróleo de 330 mil barris por dia para o período entre 2015 e 2018. Por outro lado, a AIE também apontou que o crescimento na demanda neste ano estava superando suas expectativas.
No entanto, a fraqueza do dólar ajudou a impulsionar os preços de commodities, como o petróleo. O índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) dos Estados Unidos teve alta de 0,1% em julho ante o mês anterior, enquanto analistas esperavam um avanço maior, de 0,2%.
Já o relatório semanal da Baker Hughes mostrou que o número de poços e plataformas de petróleo em atividade nos EUA subiu 3 na última semana, para 768. Na semana anterior, o número havia caído 1, para 765.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia