Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 11 de agosto de 2017. Atualizado às 15h27.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

energia

11/08/2017 - 14h59min. Alterada em 11/08 às 15h28min

Primeiro parque eólico da Região Metropolitana é inaugurado em Viamão

Artur Lemos (ao lado de Sartori) defendeu potencial gaúcho no setor

Artur Lemos (ao lado de Sartori) defendeu potencial gaúcho no setor


FREDY VIEIRA/JC
O Complexo Eólico Pontal, situado no distrito de Águas Claras, em Viamão, na Região Metropolitana de Porto Alegre, foi inaugurado nesta sexta-feira (11). Os três primeiros parques, com capacidade suficiente de gerar energia para abastecer cerca de 320 mil pessoas, receberam investimento de R$ 330 milhões.
A expectativa da Enerplan, empresa responsável pela construção, é chegar a cinco parques, totalizando um investimento na ordem de R$ 600 milhões.
Para o governador do Rio Grande do Sul, José Ivo Sartori, presente na cerimônia de inauguração do parque, "o complexo Eólico do Pontal simboliza uma mudança de realidade para a região e um novo momento na geração de energia no Rio Grande do Sul e no Brasil". Sartori afirmou também que essa é uma grande vitória para o estado e para os empreendedores.
Segundo Irineu Boff, presidente do Grupo Oleoplan, holding da operação da Enerplan, o projeto do complexo começou em 2011 e "traz riqueza e desenvolvimento para o Rio Grande do Sul". Boff salientou que os parques vão gerar energia limpa, renovável e sustentável, que "era desperdiçada e vai se transformar em dinheiro para o estado e o município".
O secretário de Minas e Energia, Artur Lemos Júnior, defendeu o potencial do Rio Grande do Sul para geração de energia eólica. "O estado é privilegiado não só na questão do vento, mas também em logística", ressaltou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia