Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de agosto de 2017. Atualizado às 23h57.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Trabalho

Notícia da edição impressa de 11/08/2017. Alterada em 10/08 às 20h29min

FGTS vai render R$ 29,62 em média ao trabalhador

Presidente da Caixa afirma que divisão de lucros é inédita no País

Presidente da Caixa afirma que divisão de lucros é inédita no País


JOSÉ CRUZ/JOSÉ CRUZ/AGÊNCIA BRASIL/DIVULGAÇÃO/JC
O presidente da Caixa Econômica, Gilberto Occhi, afirmou, nesta quinta-feira, que, em média, os trabalhadores receberão R$ 29,62 em suas contas do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) até 31 deste mês por causa da distribuição de lucros do Fundo. O valor vai variar de acordo com o montante que o trabalhador possui em conta. No total, serão R$ 7,28 bilhões distribuídos, ou metade do lucro do FGTS em 2016.
O depósito já estava previsto em medida provisória aprovada em maio. Serão beneficiados 88 milhões de trabalhadores, e contempladas 245,7 milhões de contas, segundo a Caixa. O valor já havia sido anunciado pelo presidente Michel Temer, mas um anúncio formal no Palácio do Planalto foi montado para reforçar a agenda positiva montada pela presidência.
"É a primeira vez em 50 anos de fundo que há distribuição de dividendos do resultado", afirmou Occhi. "A remuneração não fará parte da multa rescisória, é uma medida que pensa no empregador, que não onera o empregador."
Com a distribuição de 50% do lucro do fundo, a rentabilidade do FGTS sairá de 5,11% para (3% ao ano mais taxa de retorno) para 7,14%, percentual que supera o da poupança. Em discurso, o ministro Dyogo Oliveira (Planejamento) ressaltou que, pela primeira vez, "depois de décadas", a remuneração do FGTS se tornou superior à inflação oficial, tornando a aplicação condizente com outras modalidades de investimento.
"O FGTS hoje está em 7,1%, enquanto a inflação está em 6,3%. Ou seja, uma remuneração acima da inflação. A preocupação principal do governo é colocar a economia nos trilhos e gerar empregos", disse.
 

Economia começa a caminhar na direção certa com medidas, diz Henrique Meirelles

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, repetiu que a economia do Brasil caminha na direção correta, graças a medidas que começam a organizar a economia. "Essa medida é um excelente e concreto exemplo do que estamos dizendo", afirmou, durante o anúncio da distribuição dos dividendos do FGTS.
Ele lembrou que o fundo, até o ano passado, tinha a menor remuneração do sistema financeiro (TR 3%), mas que, neste ano, será de 7,14%. Ele voltou a dizer que o País estava, até o ano passado, em sua maior recessão da história, com a economia em "desfuncionalidades", além dos problemas de inflação e desemprego. "A dívida crescia de maneira preocupante, mostrando o descontrole das contas públicas. Mas muito foi feito, está sendo feito e será feito", completou.
O ministro voltou a dizer que o caminho para não se aumentar impostos e manter a inflação baixa é o controle das despesas. "Essa é a única saída, e isso já começa a acontecer no Brasil", afirmou. "É evidente que, no momento da retomada, existem números contraditórios, mas a recuperação da economia começou a acontecer", acrescentou. Meirelles citou novamente as medidas já tomadas e as reformas propostas e aprovadas. "Com isso, o Brasil voltará a crescer mais e melhor", concluiu.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia