Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 09 de agosto de 2017. Atualizado às 18h53.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 09/08 às 18h54min

Bolsas de Nova Iorque fecham em queda em meio a tensões entre EUA e Coreia do Norte

As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em queda nesta quarta-feira (9), em meio ao aumento das tensões entre os Estados Unidos e a Coreia do Norte, interrompendo o rali em Wall Street, que foi alimentado por uma temporada de balanços corporativos sólidos.
O índice Dow Jones fechou em queda de 0,17%, aos 22.048,70; o S&P 500 recuou 0,04%, para 2.474,02 pontos; e o Nasdaq perdeu 0,28%, encerrando aos 6.352,33 pontos.
As perdas em Nova Iorque começaram na terça-feira, quando o presidente americano, Donald Trump, alertou Pyongyang que, se continuar fazendo ameaças aos EUA, a Coreia do Norte enfrentará "fogo e fúria". Na sequência, os coreanos disseram que estão cogitando atacar o território norte-americano de Guam.
O recuo dos papéis da Walt Disney também pesaram na setor industrial do S&P 500. As ações da gigante do entretenimento recuaram 3,88% após a empresa reportar uma queda maior que o esperado no lucro operacional de seus negócios de TV a cabo e dizer que vai encerrar um acordo com o Netflix depois de 2018. As ações da Netflix caíram cerca de 1,5%.
No terreno positivo estão as empresas que tendem a se beneficiar de tensões geopolíticas, como as fabricantes de armamentos. Os papéis da Raytheon, que fabrica mísseis de cruzeiro Tomahawk, subiram 2,57%, enquanto os da Lockheed Martin avançavam 1,71%. A Northrop Grumman subiu 1,22%.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia