Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 10 de agosto de 2017. Atualizado às 23h57.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Roberto Brenol Andrade

Frases e Personagens

Notícia da edição impressa de 11/08/2017. Alterada em 10/08 às 21h18min

Frases e Personagens

Yeda Crusius

Yeda Crusius


GIORGE GIANNI/DIVULGAÇÃO/JC
"É triste perceber que, 11 anos após da promulgação da Lei Maria da Penha, ainda nos encontramos muito despreparados, enquanto sociedade, para prevenir, apurar e punir este tipo de crime." Yeda Crusius (PSDB), deputada federal e ex-governadora, sobre os 11 anos da Lei Maria da Penha.
"Um latrocínio - roubo, por exemplo de um carro, seguido de morte - é punido de forma mais severa do que o estupro violento, seguido de tortura e morte de uma mulher. Para latrocínio, pena máxima de 20 anos, para feminicídio: 12. Essa disparidade dá a dimensão exata das prioridades brasileiras. Um carro é mais importante do que a vida de uma mulher?" Também Yeda Crusius.
"Além da precariedade das estradas e da falta de segurança, os caminhoneiros ainda têm de suportar o aumento dos combustíveis. Se a situação persistir, a profissão será extinta." Aloísio Classmann (PTB), deputado estadual, em discurso na Assembleia Legislativa.
"Acho que está superada esta questão. Vamos votar as reformas independentemente de estarmos no governo." Geraldo Alckmin (PSDB), governador de São Paulo, sobre a permanência ou não do PSDB no governo Michel Temer (PMDB).
"Eu não vou fazer análise sobre as decisões, até porque temos ainda muito caminho pela frente. Teremos um debate, certamente, muito rico no próprio plenário da Câmara. Acho que o que é positivo é o movimento de reforma." Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sobre a reforma política.
"Manter o atual regime, que já deu todos esses problemas, o chamado modelo proporcional de lista aberta, seria, realmente, algo pouco responsável, diria eu. Então, nós temos de encontrar um meio e um modo de fazer a reforma." Também Gilmar Mendes.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia