Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 06 de agosto de 2017. Atualizado às 18h40.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Osni Machado

Empresários & Cia

Notícia da edição impressa de 07/08/2017. Alterada em 04/08 às 18h47min

Mãe de Deus quer ser referência em câncer

Alceu Alves da Silva detalha o projeto de R$ 70 milhões

Alceu Alves da Silva detalha o projeto de R$ 70 milhões


MARIANA CARLESSO/JC
Um planejamento estratégico com base no que existe de mais moderno em termos de visão de futuro para hospitais e a definição por especialização em oncologia, neurologia, cardiologia, traumatologia está materializando um grande empreendimento para atender o Rio Grande do Sul, os demais estados brasileiros e até mesmo pacientes da América Latina. Trata-se de uma iniciativa corajosa do Sistema de Saúde Mãe de Deus, que destina um investimento de R$ 70 milhões a um projeto, iniciado em 2016, para criação do Hospital do Câncer Mãe de Deus, em Porto Alegre, com o objetivo de tornar-se o maior centro privado de tratamento da doença da região Sul.
O superintendente do Sistema de Saúde Mãe de Deus, Alceu Alves da Silva, explica que estes investimentos têm como ponto primordial o atendimento a pessoa, o seu bem-estar e a busca de uma recuperação plena. Silva diz que o investimento em um hospital voltado ao tratamento do câncer está baseado em dados que mostram o aumento da incidência da doença nos próximos anos, principalmente, no Rio Grande do Sul, provavelmente associados a longevidade da população, uma vez que, trata-se de um doença que tem efeito tardio.
Nesta primeira fase, que teve um investidos R$ 12 milhões, foram concluídas a ampliação da área de tratamento, atendimento multidisciplinar, unidade de prevenção do câncer, consultórios médicos, um novo PET-CT (tecnologia que une os recursos diagnósticos da Medicina Nuclear (PET) e da Radiologia (CT)), pesquisa clínica e Watson for Oncology, ou seja, a instituição é a primeira da América do Sul a usar esta plataforma de tecnologia cognitiva da IBM.
O Watson é um recurso que se integra ao trabalho da equipe médica fornecendo aos profissionais e aos pacientes opções terapêuticas baseadas em evidências científicas mundiais. Esta tecnologia analisa grandes volumes de dados a fim de apontar alternativas individualizadas e orientadas ao perfil de cada paciente diagnosticado com câncer.
Dentro da segunda fase do Hospital do Câncer Mãe de Deus estão previstas ações como a readequação e reforma das áreas assistenciais, consolidando dois andares para oncologia e otimização das áreas de bloco cirúrgico, emergência e CTI (Centro de Tratamento Intensivo) para este atendimento, personalizado e assistência conforme a necessidades individuais de cada caso. Também está previsto a conclusão de uma unidade de tratamento de leucemias e transplante de medula óssea. A terceira e última etapa do projeto incluirá a construção de um novo prédio para consultórios, área de radioterapia e mais espaços de atendimento ambulatorial.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia