Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 09 de julho de 2017. Atualizado às 22h30.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR
Notícia da edição impressa de 10/07/2017. Alterada em 09/07 às 22h26min

Frases e personagens

"Temos que copiar os vencedores, como os japoneses. Só assim vamos construir um Brasil novo. Parece que nossa sociedade tem dois andares: o de cima e o de baixo. E nós, empresários, estamos no de baixo, carregando o piano, pagando impostos, gerando emprego. O corporativismo é o que vai acabar com nosso País. Está na hora de reagirmos, de dizermos 'chega' a esse direito adquirido." Paulo Vellinho, ex-presidente da Abinee, que trabalha há 71 anos.
"O governo do Estado está comprometido com a vida real, que acontece nas comunidades. Cada município tem sua importância e peculiaridade, por menor que seja, e atua dentro de um todo. Nosso governo está comprometido com essa união de esforços para atender com mais eficiência às pessoas que mais precisam." José Ivo Sartori (PMDB), governador, na Famurs.
"Juntos, Estado e municípios, vamos superar as dificuldades. Um exemplo disso é a mudança da planta do ICMS, que proporcionou um aumento de 10%, em média, no orçamento dos municípios. São quase R$ 800 milhões ao ano. Muitas cidades certamente não fechariam as contas no azul sem que tomássemos essa medida." Também José Ivo Sartori.
"Os municípios podem ajudar o País a sair da crise. Para isso, precisamos de um novo pacto federativo, mantendo as riquezas onde elas são produzidas e dando autonomia às comunidades locais. Quando o governo conversa com a Famurs, o governo conversa com os 497 municípios do Rio Grande do Sul e com o povo." Salmo Dias de Oliveira (PP), prefeito de Rio dos Índios, novo presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs).
"Minha gestão buscou a geração de resultados, as boas relações com os governos e a aproximação da entidade com os municípios. Foi um tempo de dificuldades econômicas. Vivemos em um momento em que imperam a liberdade, a gestão e a eficiência. A população exige um Estado que funcione. Isso acontecerá com a revisão do pacto federativo." Luciano Pinto (PDT), ex-prefeito de Arroio do Sal e ex-presidente da Famurs.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia
Frases e personagens - Jornal do Comércio
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 09 de julho de 2017. Atualizado às 22h30.

Jornal do Comércio

Opinião

COMENTAR | CORRIGIR
Notícia da edição impressa de 10/07/2017. Alterada em 09/07 às 22h26min

Frases e personagens

"Temos que copiar os vencedores, como os japoneses. Só assim vamos construir um Brasil novo. Parece que nossa sociedade tem dois andares: o de cima e o de baixo. E nós, empresários, estamos no de baixo, carregando o piano, pagando impostos, gerando emprego. O corporativismo é o que vai acabar com nosso País. Está na hora de reagirmos, de dizermos 'chega' a esse direito adquirido." Paulo Vellinho, ex-presidente da Abinee, que trabalha há 71 anos.
"O governo do Estado está comprometido com a vida real, que acontece nas comunidades. Cada município tem sua importância e peculiaridade, por menor que seja, e atua dentro de um todo. Nosso governo está comprometido com essa união de esforços para atender com mais eficiência às pessoas que mais precisam." José Ivo Sartori (PMDB), governador, na Famurs.
"Juntos, Estado e municípios, vamos superar as dificuldades. Um exemplo disso é a mudança da planta do ICMS, que proporcionou um aumento de 10%, em média, no orçamento dos municípios. São quase R$ 800 milhões ao ano. Muitas cidades certamente não fechariam as contas no azul sem que tomássemos essa medida." Também José Ivo Sartori.
"Os municípios podem ajudar o País a sair da crise. Para isso, precisamos de um novo pacto federativo, mantendo as riquezas onde elas são produzidas e dando autonomia às comunidades locais. Quando o governo conversa com a Famurs, o governo conversa com os 497 municípios do Rio Grande do Sul e com o povo." Salmo Dias de Oliveira (PP), prefeito de Rio dos Índios, novo presidente da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs).
"Minha gestão buscou a geração de resultados, as boas relações com os governos e a aproximação da entidade com os municípios. Foi um tempo de dificuldades econômicas. Vivemos em um momento em que imperam a liberdade, a gestão e a eficiência. A população exige um Estado que funcione. Isso acontecerá com a revisão do pacto federativo." Luciano Pinto (PDT), ex-prefeito de Arroio do Sal e ex-presidente da Famurs.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia