Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 16 de julho de 2017. Atualizado às 22h42.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 17/07/2017. Alterada em 16/07 às 21h19min

Prefeitura cancela eutanásia em cães com leishmaniose

Após polêmica entre defensores da causa animal e a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), a prefeitura anulou a ordem de início de serviços publicada no começo de maio para executar eutanásia em até 300 cães com leishmaniose visceral canina. A questão gerou divergência dentro da própria gestão municipal, com a Secretaria Especial dos Direitos Animais (Seda) se posicionando contra a medida.
Na anulação, publicada na sexta-feira, no Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa), o secretário da Saúde da Capital, Erno Harzheim, explica que o cancelamento do serviço se deve "ao contexto das repercussões sociais e jurídicas, principalmente com a ordem judicial proibindo o município de Porto Alegre de autorizar e/ou realizar a eutanásia". O sacrifício se daria em animais albergados na Seda sob tutela da Vigilância Sanitária da SMS, bem como nos demais cachorros ainda sem diagnóstico científico comprovando serem portadores da patologia.
O serviço seria feito pela Clínica Animed, na zona Sul da Capital. Quatorze cães chegaram a ser transportados da sede da Seda, na Lomba do Pinheiro, para a clínica logo depois da publicação da ordem de início dos serviços. Devido a protestos de ativistas, contudo, os animais voltaram para o abrigo, e a eutanásia foi suspensa. Posteriormente, ação movida pela deputada estadual Regina Becker (Rede) proibiu, por liminar, as execuções. Desde então, o futuro dos cachorros estava indeterminado.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia