Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 11 de julho de 2017. Atualizado às 18h43.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

polícia federal

Alterada em 12/07 às 11h03min

PF desarticula grupo que fraudava obtenção de benefícios do INSS na Região Sul

Operação Nômade foi deflagrada em cinco cidades da Região Sul, incluindo a gaúcha Erechim

Operação Nômade foi deflagrada em cinco cidades da Região Sul, incluindo a gaúcha Erechim


PFRS/Divulgação/JC
A Polícia Federal deflagrou, na manhã desta quarta-feira (12), a Operação Nômade, que desarticula um grupo criminoso especializado em fraudar a obtenção de benefícios assistenciais a idosos concedidos pelo INSS. Ao todo, foram cumpridos dez mandados de busca e apreensão, com o apoio da Polícia Militar, nas cidades de Erechim, no Rio Grande do Sul, Lages e Joaçaba, em Santa Catarina, e Curitiba e União da Vitória, no Paraná. Mais de 40 policiais federais e 30 policiais militares foram mobilizados.
Segundo a PF, estima-se que o prejuízo causado pelo grupo tenha sido de aproximadamente 200 mil reais, valor que poderá aumentar após o cumprimento dos mandados hoje, com a obtenção de novas informações que possibilitem dimensionar a real extensão da atuação criminosa.
A investigação teve início em 2015 após servidores do INSS identificarem indivíduos que utilizaram documentos falsos - como RG, certidão de nascimento e título de eleitor - para solicitar os benefícios assistenciais em agências do INSS em Erechim e Carazinho, no Rio Grande do Sul.
No decorrer das apurações, constatou-se que os suspeitos integram um grupo nômade, que muda de cidade, transitando especialmente pelos estados da Região Sul e aplicando a mesma fraude em diversas agências do INSS. Os principais crimes investigados na Operação Nômade são estelionato contra a Previdência Social, organização criminosa, falsificação de documento e uso de documento falso.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia