Porto Alegre, quarta-feira, 12 de julho de 2017. Atualizado às 16h41.

Jornal do Comércio

Galeria de imagens

Senadoras ocupam mesa para impedir votação da reforma trabalhista

Com direito a almoço de quentinhas no escuro, a mesa do plenário do Senado Federal foi ocupada por senadoras de oposição que se amotinaram por quase sete horas contra a aprovação da reforma trabalhista. Um grupo de cinco senadoras participou da tentativa de barrar a votação: Fátima Bezerra (PT-RN) sentou-se na cadeira da presidência e foi acompanhada por Gleisi Hoffmann (PT-PR), Regina Souza (PT-PI), Vanessa Grazziotin (PC do B-AM) e Lídice da Mata (PSB-BA), que sentaram-se ao lado. Cerca de uma hora depois, a senadora Kátia Abreu (PMDB-TO) uniu-se ao grupo: "Companheiras, estou aqui". A resistência das senadoras em deixar a mesa irritou o presidente da Casa, Eunício Oliveira, que desligou os microfones e ordenou que as luzes fossem apagadas. Diante da impossibilidade de ter votos suficientes para derrotar o governo na reforma, a oposição recorreu à ocupação do espaço físico da mesa logo no final da manhã. Após o protesto o Senado aprovou nesta terça-feira (11), por 50 votos a 26, o texto da reforma trabalhista. 
 

FOTO Antonio Cruz/Agência Brasil/Divulgação/JC