Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 16 de julho de 2017. Atualizado às 18h12.

Jornal do Comércio

Esportes

COMENTAR | CORRIGIR

campeonato brasileiro

Alterada em 16/07 às 18h13min

Com portões fechados, Vasco e Santos ficam em um sonolento empate sem gols

Vasco e Santos ficaram em um sonolento empate sem gols neste domingo, no estádio do Engenhão, pela 14ª rodada do Campeonato Brasileiro. A partida teve portões fechados devido a uma punição do time carioca por uma briga de seus torcedores em São Januário, no último dia 8, em uma grande confusão que depois culminou na morte de um torcedor vascaíno, Davi Rocha Lopes, de 27 anos, baleado no peito após o clássico entre Vasco e Flamengo pela competição nacional.
O resultado não altera a posição de ambos na tabela. O Santos se manteve na terceira colocação com 24 pontos. O Vasco segue em oitavo lugar, com 20. Os times voltam a campo pelo Brasileirão na próxima quarta-feira. Os cariocas visitarão o São Paulo no estádio do Morumbi, às 21h45, enquanto a equipe paulista receberá a Chapecoense, na Vila Belmiro, às 19h30.
Sem a presença dos torcedores, os times fizeram um primeiro tempo morno, sem chances expressivas de gol. O Vasco, que foi comandado pelo auxiliar Ednelson Silva por causa da suspensão do técnico Milton Mendes, pressionou um pouco mais e conseguiu seis finalizações, contra duas do Santos. Mas nem por isso o goleiro João Paulo, substituto de Vanderlei, machucado, precisou trabalhar.
O time carioca melhorou um pouco na etapa final e criou as melhores chances em chutes de longa distância. Thalles mandou uma bomba de longe, que pegou efeito e quase enganou João Paulo, que espalmou para lateral de manchete, como um líbero de vôlei.
O meia Nenê também arriscou duas vezes. Uma do lado direito, que o goleiro do Santos mandou para escanteio. E outra quase na risca da área do lado esquerdo, que João Paulo defendeu.
A equipe paulista pouco criava. E ainda se complicou mais com a expulsão de Daniel Guedes. O lateral-direito chegou atrasado na disputa com Guilherme e recebeu o segundo cartão amarelo e o consequente vermelho. O Vasco foi todo para o ataque, mas faltou qualidade técnica para conseguir criar uma boa chance e abrir o marcador.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia