Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 17 de julho de 2017. Atualizado às 09h47.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Combustíveis

17/07/2017 - 09h28min. Alterada em 17/07 às 09h50min

Distribuidoras criam botijão de gás pré-pago com créditos pelo celular

Na compra de um botijão, o cliente recebe R$ 5 em crédito, em média

Na compra de um botijão, o cliente recebe R$ 5 em crédito, em média


PEDRO VENTURA/ABR/JC
A compra de botijão de gás poderá gerar crédito de celular com a adoção de uma nova tecnologia financeira por grandes distribuidoras do combustível. Na compra de um botijão, o cliente recebe R$ 5 em crédito, em média. O aplicativo da prestadora de serviço tecnológico-financeiro (fintech) Operalink já está sendo usado por distribuidoras e revendedoras de Estados da região Sul. Novos contratos estão sendo negociados no Sudeste e Nordeste.
O crédito no celular funciona como um bônus para os consumidores que optarem pelo sistem1 de pagamento prévio. A ideia é que, no lugar das cédulas tradicionais, o consumidor carregue uma conta pré-paga em casas lotéricas, por meio de cartão de crédito ou boleto bancário. Ao pedir o botijão por um aplicativo, há uma baixa automática do crédito.
À frente da Operalink, Heloisa Duarte diz que distribuidoras e revendedores do gás de cozinha veem na tecnologia uma solução contra perdas que acontecem no meio do caminho, na entrega do produto ao cliente, como com assaltos aos caminhões.
Ela afirma que as empresas também são receptivas à adoção do aplicativo para conseguir ganhos logísticos, porque assim conseguem mapear a demanda de cada região e planejar as entregas. "Já o consumidor passa a ter a gestão e o registro de suas compras online", afirmou.
Os pedidos são direcionados exclusivamente para as revendas cadastradas e autorizadas junto à Agência Nacional de Petróleo (ANP). Estão excluídos do processo os informais.
No radar da Operalink está um mercado potencial de 60.641 mil revendas, 20 distribuidoras e 32 milhões de botijões vendidos mensalmente em todo Brasil, segundo a ANP. A tecnologia pode ser disponibilizada em qualquer ponto de revenda autorizado e não há limites para o número mínimo ou máximo de cadastramento de usuários.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia