Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 09 de julho de 2017. Atualizado às 22h30.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

SERVIÇOS

Notícia da edição impressa de 10/07/2017. Alterada em 09/07 às 22h28min

Boleto vencido acima de R$ 50 mil será aceito em qualquer banco a partir de hoje

Contas atrasadas poderão ser pagas em qualquer banco a partir de hoje. No começo, a facilidade valerá apenas para boletos com valor acima de R$ 50 mil, segundo a Febraban (federação dos bancos).
Quem tiver de pagar valores mais modestos, entre R$ 500,00 e R$ 2 mil, só poderá quitá-los em sua instituição de preferência a partir outubro.
O pagamento de contas atrasadas em qualquer banco é uma facilidade para o consumidor da chamada Nova Plataforma de Cobranças, ferramenta desenvolvida pelos bancos para diminuir o número de fraudes cometidas com boletos.
O sistema deveria ter entrado no ar em março, o lançamento foi adiado por uma decisão dos bancos.
Segundo a Febraban, são emitidos 3,5 bilhões de documentos por ano. Com a plataforma, todos os documentos serão registrados na hora da emissão. Ao pagar o débito, o banco consultará essa base para conferir se as informações estão corretas.
Se os dados da fatura que estiver sendo paga coincidirem com os do sistema, a operação é validada. Se houver divergência de informações, o pagamento não será autorizado e o consumidor poderá realizar o pagamento exclusivamente no banco que emitiu a cobrança.
O comprovante de pagamento também será mais completo, com informações de juros, multa ou descontos aplicados sobre o valor da cobrança. Não entram na plataforma contas de consumo (como luz e água) nem tributos (IPTU e IPVA).
Os bancos devem convidar todos os emissores de boletos a entrar no cadastro de registro. O serviço é cobrado e poderá ter um preço mais alto, a depender da negociação que a empresa fizer.
Um dos argumentos dos bancos para a criação dessa plataforma é a possibilidade de diminuir o risco de fraudes. Como os dados precisam obrigatoriamente bater, o golpe que adultera código de barras para que um fraudador receba o dinheiro fica mais difícil.
Em 2014, a Polícia Federal e o FBI descobriram uma quadrilha internacional que contaminava computadores com vírus para que, na emissão do boleto, o código fosse alterado, e o dinheiro, desviado. Esse tipo de golpe deixaria de existir com a plataforma.

COMO FICOU O CRONOGRAMA

Contas atrasadas poderão ser pagas em qualquer banco a partir de hoje. No começo, a facilidade valerá apenas para boletos com valor acima de R$ 50 mil, segundo a Febraban (federação dos bancos).
Quem tiver de pagar valores mais modestos, entre R$ 500,00 e R$ 2 mil, só poderá quitá-los em sua instituição de preferência a partir outubro.
O pagamento de contas atrasadas em qualquer banco é uma facilidade para o consumidor da chamada Nova Plataforma de Cobranças, ferramenta desenvolvida pelos bancos para diminuir o número de fraudes cometidas com boletos.
O sistema deveria ter entrado no ar em março, mas o lançamento foi adiado por uma decisão dos bancos.
Segundo a Febraban, são emitidos 3,5 bilhões de documentos por ano. Com a plataforma, todos os documentos serão registrados na hora da emissão. Ao pagar o débito, o banco consultará essa base para conferir se as informações estão corretas.
Se os dados da fatura que estiver sendo paga coincidirem com os do sistema, a operação é validada. Se houver divergência de informações, o pagamento não será autorizado, e o consumidor poderá realizar o pagamento exclusivamente no banco que emitiu a cobrança.
O comprovante de pagamento também será mais completo, com informações de juros, multa ou descontos aplicados sobre o valor da cobrança. Não entram na plataforma contas de consumo (como luz e água) nem tributos (IPTU e IPVA).
Os bancos devem convidar todos os emissores de boletos a entrar no cadastro de registro. O serviço é cobrado e poderá ter um preço mais alto, a depender da negociação que a empresa fizer.
Um dos argumentos dos bancos para a criação dessa plataforma é a possibilidade de diminuir o risco de fraudes. Como os dados precisam obrigatoriamente bater, o golpe que adultera código de barras para que um fraudador receba o dinheiro fica mais difícil.
Em 2014, a Polícia Federal e o FBI descobriram uma quadrilha internacional que contaminava computadores com vírus para que, na emissão do boleto, o código fosse alterado e o dinheiro, desviado. Esse tipo de golpe deixaria de existir com a plataforma.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia