Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de julho de 2017. Atualizado às 21h47.

Jornal do Comércio

Viver

COMENTAR | CORRIGIR

cinema

Notícia da edição impressa de 14/07/2017. Alterada em 13/07 às 17h46min

Ilusões desfeitas

A vida de uma mulher é adaptação de romance histórico

A vida de uma mulher é adaptação de romance histórico


TS PRODUCTIONS/DIVULGAÇÃO/JC
Baseado no romance de Guy de Maussapant, A vida de uma mulher foi vencedor do prêmio dos críticos no Festival de Veneza do ano passado. O longa-metragem tem direção de Stéphane Brizé e acompanha uma personagem que volta para casa após terminar os estudos em um convento.
A trama se passa na Normandia, em 1819. Em seu retorno, Jeanne, uma jovem inocente, cumpre os planos determinados por sua família. Ela deve se casar com um visconde local - homem que logo se revela mesquinho e infiel. A partir de então, as ilusões da moça vão se desfazendo. Conforme o diretor, que também é um dos roteiristas da obra, o grande desafio foi desconstruir aspectos literários do livro para obter características cinematográficas. "O romance de Maupassant tem uma estrutura tão impositiva, o estilo toma muito mais espaço, é complicado livrar-se dele", afirma.
A produção também esteve na seleção do Festival de Toronto de 2016 e recebeu duas indicações ao Prêmio Cesar, o Oscar francês. O elenco principal é formado por nomes como Judith Chemla, Jean-Pierre Darroussin e Yolande Moreau.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia