Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 16 de julho de 2017. Atualizado às 19h27.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

NEGÓCIOS CORPORATIVOS

Notícia da edição impressa de 17/07/2017. Alterada em 14/07 às 18h51min

Consultoria brasileira 'exporta' empresas latinas para Inglaterra

Governo britânico paga a Integration por projeto, mas dá recompensas a cada companhia que é levada para lá

Governo britânico paga a Integration por projeto, mas dá recompensas a cada companhia que é levada para lá


/Daniel LEAL-OLIVAS/AFP/JC
A consultoria brasileira Integration conseguiu levar 25 empresas jovens de países da América Latina, como a companhia chilena de bebidas Naïf Drinks e a fabricante argentina de carrinhos de golfe Baro, para fazer negócios na Inglaterra nos últimos dois anos. O número representa crescimento significativo em relação à quantidade de empresas da região que expandiram seus negócios por lá até 2014. O avanço dos negócios das empresas latinas no país europeu tem mostrado que ajudar companhias latino-americanas a se expandirem globalmente pode ser lucrativo.
A Integration enxergou a oportunidade de entrar nesse segmento em 2014, quando prestava serviços de consultoria de estratégia de mercado para grandes empresas, como Microsoft e Johnson & Johnson. A empresa já atuava no mercado inglês há dois anos e ganhou uma licitação do governo da Inglaterra para buscar startups de países da América Latina.
"O governo inglês queria captar startups de outros continentes, mas não era possível fazer tudo sozinho", afirma Carlos Lima, sócio-fundador da Integration. "Eles resolveram terceirizar o trabalho em uma decisão inédita no mundo." A consultoria brasileira, porém, não faz a ponte entre Inglaterra e empresas brasileiras, que são captadas diretamente pelo governo inglês por conta do tamanho do mercado.
Na prática, o trabalho da Integration consiste em criar um mapa das startups latino-americanas para participar do programa e traçar planos sobre como atrair as companhias para o Reino Unido. Lá, elas podem abrir seu próprio escritório, iniciar a oferta de seu produto ou serviço e atrair novos investimentos. É função da Integration também mostrar a importância e o que há de inovador no trabalho desenvolvido por essas empresas latinas para o governo da Inglaterra.
Entre as que já participaram do processo está a chilena Naïf Drinks, que vende bebidas a base de flores e decidiu expandir seus negócios após alcançar mais de 80 restaurantes e bares no Chile, com faturamento anual de US$ 200 mil. Para ir à Inglaterra, ela fez um investimento de aproximadamente £ 320 mil. Já a argentina Baro, que fabrica carrinhos de golfe, se arriscou mais: investiu £ 10 milhões para entrar na Inglaterra. Hoje, conta com quatro funcionários e quer expandir para 20 até 2020.
O governo da Inglaterra paga a Integration por projeto, mas dá recompensas à consultoria a cada empresa que é levada à Inglaterra com sucesso. Por questões contratuais, a Integration não revela seu faturamento. "Poucas empresas latinas olhavam para a Inglaterra", diz Guido Solari, diretor de captação da Integration para o Cone Sul. "Três anos depois, já temos mais de 250 interessadas e 25 instaladas na Inglaterra."
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia