Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 18 de junho de 2017. Atualizado às 22h18.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

São Paulo

Notícia da edição impressa de 19/06/2017. Alterada em 18/06 às 20h48min

Com 3 milhões de participantes, Parada do Orgulho LGBT defende Estado laico

Tradicional por atrair milhares de brasileiros e estrangeiros, a Parada do Orgulho de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais e Transgêneros (LGBT) ocorreu ontem em São Paulo. Com o tema "Independente de nossas crenças, nenhuma religião é lei. Todas e todos por um Estado laico", o evento foi comandado pela drag queen Tchaka e teve como madrinha a apresentadora e modelo Fernanda Lima. Três milhões de pessoas participaram das atividades. O percurso, de aproximadamente 3,5 quilômetros, seguiu a avenida Paulista em direção à Rua da Consolação.
Segundo Fernanda Lima, a religião deve ser uma opção individual. "O Estado é laico. A religião é uma opção de cada cidadão e não tem nada a ver com o direito civil, com o direito da sociedade como um todo. Vamos ser livres, sejam o que quiserem, desde que estejam dentro da lei", afirma. As cantoras Daniela Mercury, Anitta, Lorena Simpson e Naiara Azevedo estiveram entre as principais atrações do evento deste ano. A parada teve 19 trios elétricos patrocinados por instituições e empresas que apoiam o movimento LGBT.
Além da causa da diversidade, a parada também aquece a economia paulistana. Segundo levantamento feito pelo Observatório do Turismo em 2016, o gasto médio individual na cidade dos entrevistados foi de R$ 1.502,91.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia