Equipe da Jade Pole Dance, de Novo Hamburgo, crédito Lucas Schardong, especial Equipe da Jade Pole Dance, de Novo Hamburgo, crédito Lucas Schardong, especial Foto: LUCAS SCHARDONG/LUCAS SCHARDONG/ESPECIAL/JC

Da paixão pelo pole dance à criação do próprio negócio

Sem planejar muito, Ana Paula Oliveira, Ariana Bruxel e Juliana Scopel decidiram, meio que de repente, dar o pontapé inicial em direção aos seus desejos e criaram o Jade Pole Studio, em Novo Hamburgo. O espaço, aberto em março deste ano, é especialmente destinado a mulheres e tem como objetivo desenvolver a força, a confiança e a autoestima das alunas.
No começo, as ideias sobre lançar o próprio negócio sempre vinham em tom de brincadeira. As três colegas, que já praticavam o pole dance há muito tempo, se encontravam nas aulas e comentavam sobre ter um estúdio em conjunto. Então, certo dia, o assunto ficou sério.
Depois que a decisão foi tomada, levaram apenas dois meses para definir tudo - desde reuniões de planejamento, escolher o nome e encontrar um lugar para alugar - até abrir a sede oficialmente. "Chegou uma época da minha vida que eu pensei: é agora ou nunca. Eu já me formei, fiz tudo o que disseram que eu tinha que fazer para finalmente tomar alguma decisão. Então, decidi e achei duas loucas para fazer comigo", conta Juliana.
Elas tiveram a ajuda de parentes, amigos e namorados para conseguir inaugurar o estúdio. Muitos dos materiais, como armários, por exemplo, foram fruto de doações. "Aqui, não tem só coisas nossas, há um pouquinho de cada um que nos ajudou", revela Ana Paula.
Para o bom andamento do Jade Pole Studio, as sócias dividiram as funções com base nos conhecimentos adquiridos, tanto em relação às experiências profissionais quanto na parte acadêmica. Ariana tem muita prática com as questões de contabilidade e, por isso, ficou responsável por trabalhar o lado financeiro da empresa. Ana Paula faz faculdade de Moda e, portanto, cuida dos assuntos relacionados a esta área. Juliana, formada em Gastronomia, com experiência na organização e realização de eventos e no atendimento ao público, foca no relacionamento.
Apenas Juliana permanece como funcionária em tempo integral do estúdio. As outras mantiveram seus empregos para ajudar a sustentar o negócio, que não se mantém funcionando apenas com o dinheiro das matrículas. "Nós estamos usando o nosso conhecimento em outras áreas e também de pessoas próximas da gente. Aplicar isso é muito importante para seguirmos em frente", pontua Ariana.
As três também são as professoras. Para isso, fizeram cursos de capacitação e pretendem continuar se aprimorando. A confiança para o papel de instrutoras vem, ainda, das práticas que tiveram durante seus anos de alunas em outras escolas.
Além das técnicas e dos movimentos, as amigas buscam passar o sentimento positivo que têm enquanto praticam o pole dance - algo que elas definem como um momento de alívio para as coisas ruins do dia a dia.
Hoje, além de contar com as aulas regulares, o Jade Pole Studio promove workshops em datas especiais e "pole street", que é a modalidade praticada na rua. Para o futuro, pensam em lançar franquias em outras cidades e inaugurar um "pole café".
Compartilhe
Seja o primeiro a comentar

Publicidade
Newsletter

HISTÓRIAS EMPREENDEDORAS PARA
VOCÊ SE INSPIRAR.

Receba no seu e-mail as notícias do GE!
Faça o seu cadastro.





Mostre seu Negócio