Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 13 de julho de 2017. Atualizado às 21h42.

Jornal do Comércio

Dia do Comércio 2017

COMENTAR | CORRIGIR

entidades

Notícia da edição impressa de 14/07/2017. Alterada em 13/07 às 20h46min

Sebrae comemora números positivos

Para Krieger, bons resultados estão ligados à preparação de lideranças atentas às pessoas e com visão de futuro

Para Krieger, bons resultados estão ligados à preparação de lideranças atentas às pessoas e com visão de futuro


MARCO QUINTANA/MARCO QUINTANA/JC
São números que orgulham e motivam. Segundo pesquisas do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-RS), 97% dos empresários consideram-se melhor preparados para enfrentar os desafios de liderar os seus negócios após participarem dos projetos do Sebrae; e 92% aumentaram a relação e troca com outros empresários. Alem disso, a taxa de mortalidade de empresas que participam das atividades da entidade é quatro vezes menor do que a média de mercado. As companhias envolvidas geraram, em média, duas vezes mais empregos, e a maioria aumentou em mais de 10% seu faturamento no último ciclo. "A empresa varejista é uma complexa rede de pessoas, que envolve desde clientes, colaboradores, parceiros até fornecedores. Esses recursos se transformam em resultados essencialmente quando a liderança está preparada, atenta às pessoas e focada numa visão de futuro", afirma o gerente de Comércio, Serviços e Indústria, Fábio Krieger.
O Sebrae-RS é uma entidade privada que promove a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos empreendimentos de micro e pequeno porte, considerados assim por terem um faturamento bruto anual de até R$ 3,6 milhões. Opera há mais de 40 anos e tem como estratégia a atuação por meio de cadeias produtivas, a partir da identificação das oportunidades e ameaças existentes no mercado, buscando o aumento da competitividade.
Ao incentivar a aproximação entre empresas de diferentes setores, através da conversa entre empresários, o Sebrae acredita que auxilia a resolver um boa parte dos problemas do pequeno varejista. Para isso, desenvolve uma série de programas, workshops, cursos e eventos. A novidade desde ano é a criação de um programa, em parceria com Fecomércio e o Senac-RS, voltado a fortalecer o varejo e combinando teoria e prática.
Em 2016, o Sebrae atendeu a 168 mil pequenos negócios dos setores de comércio, serviços e indústria no Rio Grande do Sul. Foram cerca de 57 mil horas de consultorias prestadas, 198 cursos e 200 missões/caravanas que participaram de eventos da instituição e de terceiros.

Foco na proximidade dos elos da cadeia

Para o gerente de Comércio, Serviços e Indústria do Sebrae-RS, Fábio Krieger, as empresas têm diversas vantagens competitivas por estarem integradas em cadeias produtivas. Segundo ele, ter um relacionamento estreito e, se possível, proximidade física com os fornecedores pode ser ação decisiva para o sucesso dos negócios.
Krieger explica que a escolha do fornecedor deve ser um processo bem planejado e alinhado com as estratégias do negócio. O preço, por exemplo, não pode ser considerado o único fator de decisão. Além disso, de acordo com o gerente, planejar a produção, gerenciar a escalabilidade, flexibilizar e agilizar a entrega, reduzir custos logísticos e dar feedback sobre a qualidade e diversidade dos produtos são vantagens de estar integrado com a cadeia produtiva.
"Ter um contato mais próximo dos clientes, na ponta da cadeia, permite que a produção seja puxada na perspectiva dos consumidores finais, aumentando a possibilidade de sucesso nas vendas da cadeia como um todo", ensina o gerente.
As empresas podem se diferenciar de várias formas para melhorar a competitividade. A dica do Sebrae é tornar-se diferente a partir da essência da empresa, evidenciada em seu posicionamento, ou através de aspectos corriqueiros do cotidiano.
A diferenciação não exige complexidade e pode ser acessada por qualquer organização. É preciso, para isso, segundo ele, que o empreendedor tenha a habilidade de perceber os motivadores do mercado consumidor que ainda não foram explorados por outras empresas.
A entidade também ressalta que o empreendedor deve constantemente refletir sobre o que faz com que a empresa entregue valor diferente aos clientes, sobre o que seus clientes não gostam, o que pode ser descartado, e o que eles gostam e que pode ser aprimorado. "Essas são alternativas que podem gerar novas ideias de diferenciação. A reflexão deve ser rotineira, pois o mercado está sempre em evolução", pontua Krieger.

Parceria gera Programa Comércio e Serviços Competitivos para a profissionalização das micro e pequenas empresas

Projeto é voltado a entidades interessadas no fortalecimento das empresas e desenvolvimento das economias locais, diz Ramos
Projeto é voltado a entidades interessadas no fortalecimento das empresas e desenvolvimento das economias locais, diz Ramos
EDUARDO ROCHA/DIVULGAÇÃO/JC
Em parceria com o Senac-RS e a Fecomércio, o Sebrae lançou o programa Comércio e Serviços Competitivos, que promove o fortalecimento do comércio, através da profissionalização das micro e pequenas empresas, e provoca melhorias em três pilares: posicionamento, equipe e experiência de consumo.
A proposta utiliza uma metodologia diferenciada, combinando teoria e prática; e possibilita adotar novas ferramentas no negócio e transformar resultados. A ideia surgiu a partir da identificação dos principais gargalos e dificuldades que as empresas de comércio e serviços enfrentam para profissionalizar a gestão e atuar estrategicamente no mercado.
Entre as principais dificuldades e causas identificadas de fechamento dessas empresas estão a falta de planejamento e a presença de uma gestão amadora do negócio.
A iniciativa está disponível para micro e pequenas empresas das áreas de comércio e serviços de todo o Estado e propõe a adoção de novas ferramentas de gestão. As atividades são estruturadas em três módulos (Estratégia, Equipe e Liderança e Experiência de Compra), sempre seguidos de oficinas práticas, com carga horária total de 26 horas.
"Este é um programa aberto para envolvimento de todas as entidades interessadas em contribuir para fortalecer as empresas do setor e colaborar para o desenvolvimento das economias locais.
Esperamos que a iniciativa possa transformar as empresas, ajudando no seu nicho de mercado, para que se consolidem com equipes e lideranças alinhadas; e que alcance significado efetivo com o seu público, trazendo uma experiência de compra diferenciada", afirma Ayrton Pinto Ramos, diretor técnico do Sebrae-RS.
Os interessados em participar do programa podem procurar a unidade mais próxima do Sebrae-RS para obter informações sobre a disponibilidade do programa e realizar a inscrição. Outras informações podem ser obtidas também pela Central de Relacionamento, no telefone 0800-570-0800.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia