Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 04 de junho de 2017. Atualizado às 22h16.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

Consumo

Notícia da edição impressa de 05/06/2017. Alterada em 04/06 às 18h50min

Varejo aposta no Dia dos Namorados para lucrar

Mulheres são a maioria entre os que vão presentear na data

Mulheres são a maioria entre os que vão presentear na data


MARCO QUINTANA/MARCO QUINTANA/JC
Tatiana Prunes
Pesquisa feita pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Rio Grande do Sul (FCDL-RS) com empresários do setor sobre o movimento do varejo para o Dia dos Namorados, em 12 de junho, aponta um dado alentador para os comerciantes. Apesar de o País permanecer estremecido política e economicamente, ainda há uma série de fatores que se sobrepõem às incertezas e que impulsionam os negócios a um patamar razoável de sucesso. São perspectivas de índices que podem variar entre 2,5% e 5% a mais nas vendas neste ano, se comparados ao resultado de 2016.
Conforme o presidente da FCDL-RS, Vitor Augusto Koch, a pesquisa de intenção de compras para a comemoração anual mais romântica do ano revela um comportamento desproporcional entre os gêneros. Constatou-se uma forte tendência de que as compras serão, em 53%, feitas pelas mulheres. Já a dedicação dos homens fará rodar uma fatia mais modesta da economia, de 37,3%.
Apoiado neste indicativo, se deu início a um estímulo aos lojistas e comerciantes em geral para que prestem atenção, principalmente, neste dado. "É o momento em que precisamos ajudar os homens a se mexer. Estrategicamente, temos de lembrá-los da homenagem, para que se alavanque as vendas. Infelizmente, é assim que acontece", ressalta Koch.
Uma das táticas para que se tenha um bom desempenho neste período é o apelo para que os lojistas, dentro das possibilidades de capital de giro, proporcionem um facilitador, financiando o cliente, com vendas em curto prazo, parcelamentos e isenção de juros.
A entidade também sugere aos lojistas que sejam adotados posicionamentos que proporcionem mais aproveitamento da data, que vem ficando mais importante e consolidada, praticando descontos percebíveis de fato. "Essa é a realidade, e a adaptação às adversidades é imprescindível, pois o comércio é como um camaleão e precisa ir se moldando a situações impostas pelo mercado, que ainda continua recessivo", lembra o dirigente.
A Dvie Joalheria está no grupo que aposta na flexibilidade para alcançar um bom desempenho. A atração dos clientes vai se dar pelos produtos personalizados e linhas especiais para a data, além de condições de pagamento mais acessíveis. A ginástica, bem focada na captação das vendas, "é um subterfúgio que visa resultar em um crescimento de 10% no Dia dos Namorados deste ano sobre o mesmo período de 2016", afirma o diretor da Dvie, Bruno Sanson Koehler.
Além de uma vitrine trabalhada de forma especial, voltada para o consumidor do mercado de luxo que exige perfeição nos detalhes, Koehler conta com o fato de a data ocorrer numa segunda-feira fazendo com que as compras sejam antecipadas e tenham uma duração por todo o final de semana.
De acordo com pesquisa encomendada pelo Sindilojas Porto Alegre e Câmaras de Dirigentes Lojistas de Porto Alegre (CDL-POA) há uma projeção de movimento, para o Dia dos Namorados, de R$ 73,5 milhões no comércio da Capital, crescimento que representa uma variação nominal de 5% com relação a mesma data do ano passado. A amostra das duas entidades também aponta que a escolha do item é influenciada pelo valor. Para 86,80% dos entrevistados, o desconto é o que mais ajuda na definição do local onde será comprado o presente, seguido pelo preço, com 81,80% das consultas. Com relação ao tíquete médio, deve ficar em torno de R$ 186,00 neste ano.
 

Movimento hoteleiro e moteleiro também tende a ser maior

Dionisi espera lotação completa nas acomodações no dia 12 de junho

Dionisi espera lotação completa nas acomodações no dia 12 de junho


MARCELO G. RIBEIRO/MARCELO G. RIBEIRO/JC
As homenagens do Dia dos Namorados não se restringem à compra de produtos. Restaurantes, pubs, cafés e bistrôs também se esmeram para transformar a data em um momento único. O Plaza São Rafael, além do habitual jantar especial, preparou pacotes que abrangem hospedagem. "Como o Dia das Mães, a data vem se firmando e atraindo um público que busca comemorar o Dia dos Namorados em um 'duo', onde muitos aproveitam para reviver o ritual do casamento realizado no mesmo lugar", conta a gerente-geral do Plaza São Rafael, Isabel Travezani. A previsão é que o público, neste ano, faça o movimento crescer em 25% em relação a 2016.
Já o setor moteleiro, que sempre teve o Dia dos Namorados como um ponto acima da curva, mas que sentiu o gosto amargo dos últimos dois anos, aposta numa recuperação. "Calculamos que, em 2017, não será possível retomar ao patamar de 2014, mas estimamos, no entanto, um possível incremento em relação a 2015 e 2016", diz o proprietário do grupo hoteleiro Verdes Pássaros, que inclui os motéis Sahara, dos Alpes, Cálidon e Loft Center, Giberto Dionisi.
A rede preparou pacotes especiais e um trabalho realizado com afinco nos cardápios, decoração e reservas antecipadas. "Estamos apostando na lotação completa das acomodações, impulsionando um resultado que chegará a 5% a mais no movimento deste ano, comparado com 2016", completa o empresário.
No Brasil existem aproximadamente cinco mil motéis, que movimentam R$ 3,5 bilhões por ano. Conforme a Associação Brasileira de Motéis (ABMotéis) o movimento entre os dias 6 e 12 de junho deve crescer 20% em 2017.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia