Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 18 de junho de 2017. Atualizado às 22h18.

Jornal do Comércio

Colunas

COMENTAR | CORRIGIR
Fernando Albrecht

Começo de Conversa

Notícia da edição impressa de 19/06/2017. Alterada em 18/06 às 19h39min

A música que encanta

FERNANDO ALBRECHT/ESPECIAL/JC
Mais uma banda do gênero bluegrass faz sucesso nas ruas. O Cartas na Rua é o nome do último que deu as caras na Rua da Praia, e atrai sempre grande público. O bluegrass é um gênero musical originalmente coletado pelos colonos e redescoberto na década de 1920 por Bill Monroe, do estado de Kentucky. Violão, baixo, violino e banjo - este, no entender da página, a alma do bluegrass.

Cenas da cidade

Uma ciclista bem jovem, cheia de apetrechos modernosos nas roupas de couro, luvas e capacete diferenciado, atravessou à toda o sinal vermelho na Vasco da Gama com a Santo Antônio sexta-feira passada, às 9h57min. Então de que adianta toda essa proteção? Ou era um crash test?

Energia solar

O crescimento de instalações e conexões de energia solar no País em 2016 foi de 340%, mas a base é muito baixa, apenas cinco mil painéis. Mas é questão de tempo, afirma Mauro Passos, presidente do Ideal - Instituto para o Desenvolvimento de Energias Alternativas na América Latina. Ele participa hoje do seminário Cidade Bem Tratada, no Teatro Dante Barone.

O buraco é mais embaixo

Washington Luís, último presidente eleito pela República Velha, repetia que "governar é abrir estradas". Hoje, o bordão poderia sofrer algumas adaptações, entre elas "governar é tapar buracos das estradas". Em algumas regiões, a reação seria uma pergunta: "Que estradas?".

Um alemão notável

Quem viu o chanceler alemão Helmut Kohl, que morreu aos 87 anos, discursando e principalmente quem trocou algumas palavras com ele jamais esquecerá aquele foi uma das mais notáveis personagens do século passado. Não só a Alemanha e na Europa, o mundo todo precisa reverenciá-lo. Aliás, a Alemanha do pós-guerra criou um naipe notável de grandes estadistas.

Por falar em Kohl...

...em um país em que o ensino de inglês vem cedo nas escolas, o falecido chanceler era exceção. Nos anos 1980, dizia-se dele que era o único alemão que não falava inglês. E não falava mesmo.

Soluções presidenciais...

Eleição direta e mandato de cinco anos para presidente da República. A tese do ex-prefeito paulistano Fernando Haddad é razoável. Mas ele entrou numa longa fila, há muito tempo vem sendo defendida por muita gente, atores ou não do processo político. Falta um consenso se é ou não com reeleição.

...para o futuro do Brasil

O problema nesta opção, se aprovada fosse uma PEC, é que, no Brasil, o fixo é variável, uma grosseria física, mas que aqui é tão normal como pão com manteiga. Digamos que seja aprovada e que o eleito faça um excelente mandato. Antes de terminar o mandato, a situação vai querer mudar de novo a PEC e incluir "com reeleição".

A moda dos decks

Eles se multiplicam na cidade e são uma solução para ampliar o número de fregueses de um bar ou restaurante sem grandes investimentos, bastando tablado de madeira, mesas e cadeiras, e um toldo. Depende de espaços vazios e sem fluxo de carros. O pioneiro, na rua General Câmara, foi o Tuim; mais adiante, apareceu outro, da General Dogs. E dão vida às ruas.

Miúdas

  • SUGESTÃO de Fernando Henrique Cardoso para que Michel Temer renuncie encerra uma pergunta.
  • ESTARIA o ex-presidente tucano falando pelo PSDB ou está em apresentação solo?
  • TERREMOTOS novos e tremores secundários às mancheias tornam Brasília a capital mundial dos sismos.
  • APESAR de não adiantar, a página tem o dever de registrar que a ocupação de calçadas no Centro Histórico bate recordes.
  • NÃO há a mínima consideração para com o passante. Na Borges de Medeiros, não se caminha, esgueira-se.
  • JOESLEY Batista começou como açougueiro e chegou onde chegou. Na queda do seu império, pode voltar a sê-lo.
  • VOLTA do embargo a Cuba determinada por Donald Trump é uma burrice econômica planetária.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia