Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 18 de maio de 2017. Atualizado às 23h11.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

operação lava jato

Notícia da edição impressa de 19/05/2017. Alterada em 18/05 às 21h27min

Rio de Janeiro teve panelaço e gritos de 'Fora, Temer'

Houve panelaços e gritos contra o presidente Michel Temer (PMDB) no Rio de Janeiro, na tarde desta quinta-feira, durante o pronunciamento que ele fez em Brasília, transmitido ao vivo por canais de televisão.
Havia expectativa de que o presidente renunciasse, mas Temer afirmou que não teme nenhuma delação e que não vai renunciar. Os panelaços foram ouvidos nos bairros da Zona Sul, como Ipanema e Humaitá, e também na Barra da Tijuca, na Zona Oeste. Pelas janelas e mesmo na rua, pessoas gritaram palavras de ordem contra o presidente - "Fora, Temer" foi a mais comum.
No final da tarde, milhares de pessoas se reuniram ao redor da Igreja da Candelária, no Centro do Rio, em ato pela renúncia de Temer. Organizado por diversos sindicatos e entidades estudantis e da sociedade civil, o protesto incluiu uma caminhada até a Cinelândia. 
Líderes de várias categorias profissionais discursaram pedindo a saída de Temer e a realização de eleições diretas para presidente da República. "Eleição indireta é uma farsa", repetiam ao microfone líderes sindicais.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia