Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 17 de maio de 2017. Atualizado às 21h48.

Jornal do Comércio

Política

COMENTAR | CORRIGIR

câmara dos deputados

Alterada em 17/05 às 21h50min

Molon apresenta novo pedido de impeachment de Temer

O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) protocolou na noite desta quarta-feira (17), na Câmara, novo pedido de impeachment do presidente Michel Temer por crime de responsabilidade. O pedido é baseado na gravação que teria sido feita pelo empresário Joesly Batista, dono da JBS, com Temer dando aval para "compra de silêncio" do ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ). A gravação foi divulgada mais cedo pelo jornal O Globo.
Além do impeachment, a oposição também cobra a renúncia imediata de Temer. "Impeachment demora uns três meses. Mais rápido seria a renúncia', defendeu o deputado Silvio Costa (PTdoB-PE). Segundo o deputado José Guimarães (PT-CE), outra estratégia dos opositores será tentar paralisar o funcionamento do Congresso Nacional até a convocação de eleições diretas para presidente da República. "A situação é muito grave. Ou se faz o impeachment ou não se faz mais nada neste País ", disse o petista.
Na Câmara, já há hoje outro pedido de impeachment contra o presidente aberto por ordem do ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF). A decisão do ministro é de abril do ano passado. Desde então, a comissão especial que analisará esse primeiro pedido ainda não foi instalada na Casa. Isso porque líderes de partidos da base aliada resistem a indicar os deputados de suas bancadas para compor o colegiado.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia