Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de maio de 2017. Atualizado às 22h45.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

américa do sul

Notícia da edição impressa de 17/05/2017. Alterada em 16/05 às 20h34min

Número de mortos na Venezuela em atos contra Maduro sobe para 40

Subiu para 40 o número de mortos na onda de protestos contra o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro. Yeison Nathanael Mora Cordero, 17 anos, morreu durante a madrugada em um hospital. Ele havia sido ferido na cabeça por um projétil disparado em uma manifestação na segunda-feira na cidade de Pedraza, a cerca de 600 quilômetros de Caracas. O Ministério Público investiga o incidente.
Em outras regiões, policiais e manifestantes entraram em confronto ontem. Na segunda-feira, morreram um jovem de 18 anos, em Palmira, e um policial em Valencia.
Opositores exigem eleições gerais para resolver a grave crise política e econômica e rejeitam o chamado do presidente por uma Assembleia Constituinte popular. Segundo os planos do governo, a Constituinte seria eleita de maneira territorializada, não pelo sufrágio universal.
Os adversários de Maduro também pedem a libertação de presos políticos e a realização de eleições de governadores, que deveriam ter sido realizadas em dezembro de 2016, mas foram adiadas. Maduro acusa a oposição de ter tomado o caminho da insurgência armada para aplicar um golpe de Estado, com apoio logístico e financeiro dos Estados Unidos.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia