Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 18 de maio de 2017. Atualizado às 11h01.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

protestos

Alterada em 18/05 às 11h05min

Movimentos sociais convocam atos em Porto Alegre pedindo saída de Temer

Diversos protestos devem ocorrer em Porto Alegre nesta quinta-feira (18), em repercussão à revelação de que o presidente Michel Temer (PMDB) teria tentado comprar o silêncio do ex-deputado Eduardo Cunha. Os atos são convocados por movimentos sociais e partidos políticos. Os manifestantes devem se encontrar a partir das 12h na Esquina Democrática, no Centro Histórico de Porto Alegre, e um grande ato está marcado para as 18h, no mesmo local.
Em evento publicado no Facebook, cerca de 6 mil pessoas já haviam confirmado presença no fim da manhã de hoje no "Ato público Fora Temer" na Capital. O protesto pede pela saída do presidente Michel Temer e pela realização de eleições diretas. 
Desde a noite de ontem, quando as notícias sobre o caso vieram à tona, diversos atos foram registrados pelo País. No momento em que estava em reunião para definir estratégia de reação à nova crise política, Temer enfrentou protesto e buzinaço do lado de fora do Palácio do Planalto. Com cartazes e bandeiras, um grupo de cerca de 50 manifestantes pediu a saída do peemedebista do cargo e a realização de uma eleição direta. O protesto foi acompanhado pelo som de buzinas de motoristas que passaram em frente à sede administrativa do governo federal. Também em São Paulo, na Avenida Paulista, houve aglomeração, protesto e palavras de ordem Fora, Temer! e por eleições diretas já.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia