Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 19 de maio de 2017. Atualizado às 17h21.

Jornal do Comércio

Gastronomia e Vinhos 2017

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 19/05/2017. Alterada em 19/05 às 17h22min

Vinho e suco de uva são aliados da saúde

Caroline destaca incremento na produção e no consumo de suco de uva, com investimentos em tecnologia e qualidade

Coordenadora de pesquisa na área, Caroline destaca incremento na produção de suco de uva, com investimentos em tecnologia e qualidade, além do aumento do consumo


MARCELO G. RIBEIRO/JC
A ciência está comprovando, por meio de diferentes estudos em todo o mundo, o que os moradores da serra gaúcha já sabem há décadas: os principais derivados da uva, como o vinho e o suco, são grandes aliados da saúde.
O consumo de suco de uva no Brasil ainda é muito baixo. São cerca de 0,7 litro por pessoa ao ano. O de vinho é de aproximadamente 2 litros per capita no mesmo período. Para comparar: o refrigerante tem uma média de consumo de 30 litros per capita, uma lavada. Por essa razão, a indústria está convencida de que a melhor forma de alavancar o consumo e, por consequência, as vendas é investir em pesquisa e na divulgação dos benefícios dos derivados da uva.
Se depender do mundo cada vez mais conectado na prevenção e boa forma e nos resultados de estudos científicos respeitados, a tarefa não será difícil. Esse propósito norteia a realização do Simpósio Internacional Vinho e Saúde, que ocorre de 1 a 3 de junho, em Bento Gonçalves. O evento, em sua terceira edição, também faz parte das comemorações do Dia do Vinho.
O simpósio reunirá 11 palestrantes brasileiros e seis internacionais entre os principais pesquisadores do mundo sobre derivados de uva, entre eles uma das responsáveis por um dos trabalhos mais completos da área, o Predmed, a médica Rosa Lamuela-Raventos. O projeto científico, iniciado há alguns anos na Europa, analisou os benefícios da dieta mediterrânea. Rica em vegetais, com predominância de pescados e outras carnes brancas às carnes vermelhas, e do azeite de oliva, também se caracteriza pelo estímulo ao consumo moderado de vinho. Como a bebida é apreciada na região do estudo há séculos, foi possível aferir, juntamente com a dieta, os efeitos da bebida por meio de questionários. O trabalho envolveu mais de 7 mil pessoas.
E uma de suas conclusões confirmou uma das fontes de juventude da nossa serra. "O consumo do suco de uva e do vinho com moderação está relacionado à prevenção de doenças cardiovasculares, redução da pressão arterial, diminuição do risco de aparecimento de enfermidades neurológicas, prevenção de envelhecimento precoce e auxílio na redução de peso", relaciona a mestre e doutora em Biotecnologia e pós-doutora pela Georgetown University Medical Center, Caroline Dani.
Professora do Centro Universitário Metodista IPA, ela vai além e mostra que, em números, essa proteção é mais impressionante. "O consumo de até 300 ml para homens e 150 ml para mulheres de vinho, e de até 400 ml de suco de uva para adultos, por dia, protege em até 80% contra os riscos das doenças cardiovasculares."
Outro estudo, desenvolvido no IPA e coordenado por Caroline, revelou outro benefício dos polifenóis presentes na uva: a proteção do sistema nervoso central, com a melhora da cognição e da memória em um grupo de idosos que consumiu suco de uva por 30 dias. Há também trabalhos que revelam o aumento da atividade cerebral e de proteção contra o câncer de mama, além da redução do risco de diabetes e obesidade, com ganhos na prática de atividades físicas.
Segundo Caroline, mais de 20 mil famílias vivem da produção do suco de uva no Estado. Nos últimos 10 anos, essa produção teve um boom de mais de 500%. "As empresas passaram a investir em tecnologia e aumentaram a qualidade dos produtos", afirma. Na outra ponta, os consumidores estão cada vez mais conscientes da importância de conhecer melhor o que estão consumindo.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia