Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de maio de 2017. Atualizado às 19h43.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

telecomunicações

Alterada em 15/05 às 19h44min

Juiz prorroga prazo de suspensão das ações e execuções da Oi

O juiz Fernando Viana, responsável pelo processo de recuperação judicial da Oi, aceitou pedido feito pela tele e prorrogou o prazo de suspensão das ações e execuções contra a companhia por 180 dias úteis ou até a realização de assembleia de credores. A proteção terminaria nesta terça-feira (16). A empresa entrou com pedido de recuperação judicial em junho do ano passado.
"O procedimento está em delicada fase processual, na qual todo e qualquer ataque ao patrimônio das sociedades, poderá por termo aos esforços até aqui engendrados, tendo consequências drásticas não só para a sociedade empresária em si, mas também para uma grande coletividade que se utiliza dos serviços públicos prestados pelas devedoras por meio de concessão", afirmou o juiz na decisão de hoje.
O magistrado informou ainda que tanto o Ministério Público quanto o administrador judicial foram favoráveis à extensão do prazo e citou também jurisprudência nesses casos. Ele citou ainda "a magnitude e complexidade do processamento deste caso, considerado o maior processo de Recuperação Judicial em trâmite no País".
"As recuperandas (empresas do grupo Oi) têm atuado com lisura na conduta do processo, cumprindo fielmente todas as determinações legais e judiciais que lhes são apresentadas, estando o processo, em razão de sua própria magnitude e especificidade, se desenvolvendo dentro do que se espera razoável", diz Viana.
A Oi informou ao juiz que o fim do prazo sem sua prorrogação a deixaria vulnerável a atos de execução de bens de seu patrimônio, trazendo efetivo prejuízo para o desenvolvimento do processo e das negociações que estão em andamento com as diversas classes de credores. A informação consta na decisão do magistrado.
Na semana passada, o presidente da tele, Marco Schroeder, estimou que a assembleia de credores pode ocorrer em setembro.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia