Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 15 de maio de 2017. Atualizado às 16h06.

Jornal do Comércio

Economia

COMENTAR | CORRIGIR

mercado financeiro

Alterada em 15/05 às 16h11min

Ouro fecha no maior patamar em quase duas semanas após teste da Coreia do Norte

Os preços do ouro subiram pela quarta semana seguida nesta segunda-feira, fechando no maior patamar em quase duas semanas em meio a preocupações renovadas sobre Coreia do Norte, que realizou um novo teste balístico neste final de semana.
Na New York Mercantile Exchange (Nymex), o contrato para junho encerrou em alta de 0,18%, a US$ 1.230,00 por onça-troy. Este é o maior valor de fechamento desde 3 de maio, segundo dados da FactSet.
Segundo operadores, o metal dourado também foi beneficiado pelo recuo do dólar ante as moedas emergentes, em meio a uma forte valorização do petróleo. O combustível foi ajudado pela proposta feita conjuntamente pela Arábia Saudita e pela Rússia de estender os cortes de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) em nove meses, até o final de março de 2018.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia