Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 18 de maio de 2017. Atualizado às 22h28.

Jornal do Comércio

Viver

COMENTAR | CORRIGIR

cinema

Notícia da edição impressa de 19/05/2017. Alterada em 18/05 às 17h40min

Maratona de horror

Filme 13 histórias estranhas 2 tem sessão de estreia no Fantaspoa

Filme 13 histórias estranhas 2 tem sessão de estreia no Fantaspoa


FANTASPOA/DIVULGAÇÃO/JC
Com início nesta sexta-feira, o Fantaspoa 2017 tem 24 sessões de filmes de horror e fantasia no fim de semana. As exibições dos curtas e longas-metragens da programação acontecem no Cine Santander Cultural (Sete de Setembro, 1.028) e na Cinemateca Capitólio Petrobras (Demétrio Ribeiro, 1.085), até 4 de junho.
Entre os destaques dos primeiros dias da programação, está a première da antologia 13 histórias estranhas 2. A produção brasileira reúne 13 curtas de terror baseados em numerais - as histórias giram em torno de assombrações, bruxaria, vampirismo e satanismo, entre outros temas. A estreia acontece às 21h30min de sábado, no segundo espaço de exibição, e é seguido por debate com participação do diretor do projeto e dos realizadores dos segmentos.
Às 15h de sábado, a Cinemateca Capitólio Petrobras exibe o vencedor do prêmio especial do júri no Festival de Sundance de 2016: The Lure, de Agnieska Smoczynska. Mistura de horror, musical e comédia dramática, o filme polonês acompanha duas irmãs sereias que entram em conflito - uma quer fazer presas humanas, enquanto a outra se apaixona por um músico.
No domingo, há outra sessão comentada: A repartição do tempo (21h30min). O diretor Santiago Dellape e a atriz Bianca Muller comentam o filme, ficção científica que se passa em Brasília, na década de 1980. Um cientista registra a patente de uma máquina do tempo, e o chefe do Registro de Patentes e Invenções decide usar o invento para aprisionar os empregados e obrigá-los a trabalhar.
Já o Santander Cultural tem sessão de uma produção premiada em festivais de cinema de gênero. Hoje à noite ela virá (sexta-feira, às 19h) acompanha um grupo atraído para a cabine onde uma garota morreu.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia