Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 18 de maio de 2017. Atualizado às 22h28.

Jornal do Comércio

Viver

COMENTAR | CORRIGIR

cinema

Notícia da edição impressa de 19/05/2017. Alterada em 18/05 às 17h42min

Destino pela Excalibur

A maga e o protagonista em cena de Rei Arthur: A lenda da espada

A maga e o protagonista em cena de Rei Arthur: A lenda da espada


DANIEL SMITH/DANIEL SMITH/DIVULGAÇÃO/JC
Protagonizado pelo galã Charlie Hunnam e com Jude Law como vilão, chega ao cinema mais uma versão da história do guerreiro britânico. Rei Arthur - A lenda da espada tem direção de Guy Ritchie, de Sherlock Holmes (2010) e O agente da U.N.C.L.E. (2015).
Arthur é salvo criança, de um barco, por prostitutas que lavam roupa no rio, e cresce em um bordel no vilarejo de Londíniom. Seu pai, o rei Uther Pendragon (Eric Bana) - após ser traído pelo irmão, Vortigern (Law), que toma a coroa - protege o menino do tio sanguinário no cais, antes de morrer.
Sem ter o que é seu por direito de nascimento e sem ideia de quem é, Arthur sobrevive nos becos da cidade, em busca da prosperidade.
No reino de Camelot, a Excalibur que era de seu pai está cravada há anos em uma rocha, com o mito de que só responderia aos comandos do verdadeiro herdeiro. Os subordinados do atual imperador testam todos os jovens que teriam a idade do sobrinho na tentativa de retirada da espada da pedra. Quando não consegue se desvencilhar da tropa, Arthur é transportado ao local e é feita a descoberta. No entanto, ele resiste ao poder do objeto. Assim que vai recuperando sua memória e entende o que Vortigern significa, ele resolve lutar.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia