Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 16 de maio de 2017. Atualizado às 21h55.

Jornal do Comércio

Panorama

COMENTAR | CORRIGIR

ACONTECE

Notícia da edição impressa de 17/05/2017. Alterada em 16/05 às 17h16min

Paisagem e cultura pelas lentes

Mariana Gadis apresenta exposição Deserto do Atacama na Biblioteca Sicredi

Mariana Gadis apresenta exposição Deserto do Atacama na Biblioteca Sicredi


MARIANA GADIS/DIVULGAÇÃO/JC
A partir de hoje, às 13h, as paredes da Biblioteca Sicredi (Assis Brasil, 3.940) ganham nova exposição, pelo projeto Quarta Cultural. Quando decidiu conhecer o Deserto do Atacama, no Chile, a fotógrafa Mariana Gadis não imaginou que seria um lugar incrivelmente rico de vida e cores vibrantes que saltam aos olhos, afinal, é o deserto mais árido do mundo. As nuances do local pelo olhar dela compõem a mostra que terá visitação diária, das 9h às 18h, com entrada franca.
Lugar surreal, com povo sedutoramente gentil e hospitaleiro, o Atacama parece cenário de filme de ficção, além de ter um certo misticismo e muitos vestígios de civilizações antigas (800 a.C.), que o povo de lá tem orgulho em apresentar e contar as histórias e lendas. Do pequeno oásis, o vilarejo de San Pedro do Atacama, é possível ver uma cadeia de mais 100 vulcões, alguns ativos, como os mais famosos Licancabur e Lascar. É um deleite para quem gosta de fotografar. 
Mariana Gadis fez MBA em Marketing, mas foi na época das cadeiras de fotografia da faculdade em Comunicação Social da Unisinos, pelos anos 2000, que se apaixonou pela fotografia. Fez cursos de especialização no Núcleo de Fotografia da Ufrgs e na Escola de Fotógrafos. De lá pra cá, foram muitos cliques, e o gosto por registrar belas paisagens, conhecer novos lugares e diferentes culturas só aumentou.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia