Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 14 de maio de 2017. Atualizado às 20h33.

Jornal do Comércio

Empresas & Negócios

COMENTAR | CORRIGIR

Leitura

Notícia da edição impressa de 15/05/2017. Alterada em 14/05 às 19h56min

Corrupção

REPRODUÇÃO/JC
"A Lava Jato abre uma janela de oportunidade. Embora por si própria não transforme o País, pode ser o ponto de apoio para alavancar as mudanças com que sonhamos. A hora é agora", afirma o paranaense Deltan Dallagnol, mestre em Direito pela Universidade de Harvard, professor e autor de diversos artigos e livros sobre o assunto, e também coordenador, desde de 2014, da força-tarefa de procuradores que atua na Lava Jato, em Curitiba.
Dallagnol foi um dos protagonistas da campanha pela aprovação das 10 medidas contra a corrupção, que contou com a adesão de mais de dois milhões de brasileiros. O coordenador ingressou no Ministério Público Federal em 2003. Desde então, trabalhou em grandes investigações, como o caso Banestado, que resultou na prisão de Alberto Youssef. No livro "A luta contra a corrupção: A lava jato e o futuro de um país marcado pela impunidade", Dallagnol aborda momentos decisivos e difíceis da Lava Jato. A primeira delação, a reação dos procuradores diante do que foi dito pelos colaboradores, os riscos enfrentados e os momentos em que os investigadores ficaram exposto a ataques. O autor conta também sobre sua rotina como procurador e pontua, no livro, histórias de sucesso e fracasso no combate à corrupção com as razões que levaram à elaboração de cada uma das medidas propostas pelo Ministério Público.
CONTINUE LENDO ESTA NOTÍCIA EM NOSSA EDIÇÃO PARA FOLHEAR
CLIQUE AQUI PARA ACESSAR
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia