Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 23 de abril de 2017. Atualizado às 12h34.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

frança

23/04/2017 - 12h29min. Alterada em 23/04 às 12h35min

Com segurança reforçada, franceses vão às urnas neste domingo

Até as 12 horas, 28,54% dos eleitores tinham votado

Até as 12 horas, 28,54% dos eleitores tinham votado


ANNE-CHRISTINE POUJOULAT/AFP PHOTO/JC
Os eleitores franceses se dirigem às urnas neste domingo (23), para o primeiro turno de uma eleição presidencial que acabou se transformando em um referendo sobre o futuro do sistema francês de direitos e a respeito da posição do país na União Europeia. O esquema de segurança foi reforçado, após um ataque terrorista.
Até as 12 horas, 28,54% dos eleitores tinham votado, de acordo com o Ministério do Interior. Esse porcentual é apenas um pouco superior à participação de 28,29% observada no mesmo horário, na eleição de 2012. Os números iniciais desafiaram as previsões de alguns analistas de que muitos eleitores iriam se opor à eleição.
Entre os quatro candidatos que lideram a corrida, há dois que procuram se distanciar da ordem política e econômica que tem governado a França e a Europa para nos últimos 60 anos.
Os dois primeiros finalistas de uma lista de 11 vão disputar a vaga no segundo turno, em 7 de maio, a não ser que qualquer candidato ganhe mais de 50% dos votos neste domingo.
Os eleitores estão votando em meio a um forte esquema de segurança, após uma série de ataques terroristas. Mais 50 mil serão enviados para proteger os locais de voto em todo o País e se juntarão a cerca de 10 mil soldados, que já estão patrulhando as ruas como parte de uma missão antiterrorista.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia