Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de abril de 2017. Atualizado às 23h49.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Crise Diplomática

Notícia da edição impressa de 19/04/2017. Alterada em 18/04 às 20h06min

Guerra termonuclear pode começar a qualquer hora, diz Coreia do Norte

Embaixador norte-coreano na ONU disse que país está pronto para reagir

Embaixador norte-coreano na ONU disse que país está pronto para reagir


SPENCER PLAT/SPENCER PLAT/AFP/JC
Um alto oficial da Coreia do Norte acusou ontem os Estados Unidos de criarem "uma situação perigosa na qual uma guerra termonuclear pode explodir a qualquer momento". O embaixador da Coreia do Norte na Organização das Nações Unidas (ONU), Kim In-ryong, descreveu os exercícios militares conjuntos realizados pelos EUA e pela Coreia do Sul como os mais agressivos possíveis e disse que seu país estava "pronto para reagir a qualquer tipo de guerra desejada pelos EUA".
A advertência de Kim ocorre no mesmo dia em que o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, em visita à Ásia, garantiu ao Japão que Washington trabalharia em estreita colaboração com seus aliados na região para conseguir uma solução pacífica para a crise e desnuclearizar a península coreana.
A "aliança entre EUA e Japão é a pedra angular da paz e da segurança no nordeste da Ásia", declarou Pence em um encontro com o premiê nipônico Shinzo Abe, que defendeu a busca de uma solução pacífica na crise com a Coreia do Norte. "É muito importante desenvolver esforços diplomáticos e buscar uma solução pacífica", declarou o chefe de governo japonês.
"Ao mesmo tempo, apenas o diálogo pelo diálogo carece de valor e é necessário pressionar", completou. Pence desembarcou em Tóquio ontem, após uma visita à Coreia do Sul, para abordar o tema da tensão com a Coreia do Norte depois da realização de testes de mísseis em março e abril.
As declarações do embaixador foram feitas um dia depois de Pence ter dito que nem seu país nem a Coreia do Sul irão tolerar novos testes. "A era da paciência estratégica dos EUA com Pyongyang acabou", afirmou Pence durante visita à zona desmilitarizada, área que divide os territórios das Coreias. "Todas as opções estão na mesa para conquistar os objetivos e garantir a estabilidade do povo norte-coreano)", ressaltou.
A solução do impasse por meio da diplomacia também é o caminho defendido pela China. O ministro de Relações Exteriores chinês, Wang Yi, fez ontem um novo apelo pela paz na Península Coreana e disse acreditar que os EUA querem uma solução diplomática para o impasse.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia