Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de abril de 2017. Atualizado às 15h29.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Saúde

Alterada em 19/04 às 15h32min

Projeto oferece consultas gratuitas para doenças gastrointestinais até esta quinta-feira

Carreta do projeto Movimento Brasil sem Parasitose em Porto Alegre

Carreta do projeto Movimento Brasil sem Parasitose em Porto Alegre


Movimento Brasil Sem Parasitose/divulgação/jc
O projeto Movimento Brasil sem Parositose, que já atendeu mais de 10 mil pacientes em 11 cidades brasileiras, estará em Porto Alegre com a carreta do projeto até esta quinta-feira (20) realizando orientação médica gratuita de gastroenterologistas e pediatras para a população.
A iniciativa é da Federação Brasileira de Gastroenterologia com o apoio da Farmoquímica, e percorrerá este ano 14 cidades do País. O objetivo é reduzir a ocorrência das doenças parasitológicas e avaliar as doenças do sistema digestório (boca, estômago, esôfago e intestinos), como refluxo esofágico, gastrite, úlceras, prisão de ventre, diarreias, infecções intestinais, entre outras.
Embora as ocorrências sejam mais comuns nas regiões carentes de saneamento básico, existe a necessidade de conscientizar também a população das regiões metropolitanas. As parasitoses atingem todas as camadas socioeconômicas da população, nas diversas faixas etárias.
Uma unidade móvel está a disposição das 8h às 17h, no estacionamento do Parque da Marinha do Brasil (Av. Borges de Medeiros, 2035). O atendimento é feito por médicos gastroenterologistas e pediatras
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia