Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de abril de 2017. Atualizado às 15h22.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

questão agrária

19/04/2017 - 15h21min. Alterada em 19/04 às 15h25min

MST desocupa pátios do Incra e Ministério da Fazenda em Porto Alegre

Integrantes do Movimento reivindicam desapropriação de áreas e melhorias nos assentamentos

Integrantes do Movimento reivindicam desapropriação de áreas e melhorias nos assentamentos


MST/MST/divulgação/JC
Os cerca de 2 mil integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) desocuparam na tarde desta quarta-feira (19) os pátios da superintendência regional do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) e do Ministério da Fazenda, em Porto Alegre, após audiências com governos na capital gaúcha e em Brasília. As ocupações, incluindo a do pátio da Secretaria do Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), na terça-feira (18), fizeram parte da Jornada Nacional de Lutas pela Reforma Agrária, também conhecida como 'Abril Vermelho', período em que o MST promove atos em todo o País para reivindicar o acesso à terra. 
Os atendimentos ao público nos prédios ocupados foram suspensos. Com a liberação na tarde de hoje, as pessoas que tiveram atendimentos cancelados nos últimos dias na Receita Federal devem buscar reagendamento pelo site. Os casos de urgência devem ser tratados diretamente na Receita, que a partir de amanhã retoma o atendimento normal. 
Segundo o Movimento, o objetivo da ocupação do pátio da SDR era negociar com o governo José Ivo Sartori (PMDB) a desapropriação de áreas e melhorias nos assentamentos do Estado. A reivindicação foi atendida ainda na tarde de ontem, quando integrantes do MST se reuniram com o chefe da Casa Civil, Márcio Biolchi, e o secretário adjunto da SDR, Iberê de Mesquita Orsi.
Em Brasília, uma comitiva do MST está participando de audiências com representantes do governo federal para reivindicar pautas no âmbito nacional. Na tarde de terça as negociações ocorreram com o Incra, o Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário (MDSA), o Ministério da Integração Nacional (MIN) e a Casa Civil. Para esta quarta estão previstas, pelo menos, mais cinco reuniões.
O MST cobra agilidade do governo no processo de desapropriação de áreas que já estão em negociação e o assentamento de, pelo menos, 1 mil famílias acampadas ainda este ano – atualmente, há mais de 2 mil famílias vivendo em barracos de lona no território gaúcho. Para continuar as negociações sobre esta pauta, os Sem Terra se reúnem nesta quinta-feira (20) com representantes do Incra e da SDR.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia