Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 19 de abril de 2017. Atualizado às 18h29.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

inve

19/04/2017 - 12h51min. Alterada em 19/04 às 18h32min

PF realiza ação de combate à corrupção e lavagem de dinheiro no Dnit

PF fez as buscas e apreensões na residência do ex-servidor acusado pelas irregularidades

PF fez as buscas e apreensões na residência do ex-servidor acusado pelas irregularidades


MATEUS BRUXEL/ARQUIVO/JC
A Polícia Federal cumpriu, na manhã desta quarta-feira (19), em Porto Alegre dois mandados de busca e apreensão em ação de combate à corrupção e à lavagem de dinheiro que terai sido praticada no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). As buscas foram em uma residência e um escritório na Capital. Apesar de a PF não revelar o nome do alvo da operação, informações de fontes como a Rádio Gaúcha indicam se tratar do ex-diretor-geral do Departamento Estadual de Estradas e Rodagem (Daer) e ex-assessor de diretoria do Dnit José Francisco Thormann. 
As investigações apuram o recebimento de valores por parte do ex-servidor que reside em Porto Alegre e que ocupou cargo em comissão no Dnit, em Brasília, entre 2004 e 2011. Os valores, seguindo a PF, teriam sido pagos por três empresas que prestam serviço ao órgão público federal. O ex-servidor fez os recebimentos por meio de uma empresa de fachada. A investigação teve início após informações repassadas pela Receita Federal do Rio Grande do Sul à Polícia Federal. 
Além das buscas, a Justiça Federal determinou o sequestro de dois imóveis em Porto Alegre e um em Brasília e de ativos que o ex-servidor detém em um empreendimento na Serra Gaúcha. O valor total do patrimônio sequestrado é estimado em R$ 3 milhões. Os investigados serão indiciados por corrupção ativa e passiva, lavagem de dinheiro e sonegação fiscal, de acordo com a participação individual.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia