Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 18 de abril de 2017. Atualizado às 23h56.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Patrimônio

Notícia da edição impressa de 19/04/2017. Alterada em 18/04 às 21h29min

Obras na Ponte de Pedra devem ser retomadas

Vegetação e detritos tomaram conta do canteiro de obras

Vegetação e detritos tomaram conta do canteiro de obras


JONATHAN HECKLER/JC
Igor Natusch
Emblemáticas tanto pelo patrimônio envolvido quanto pela demora para a conclusão, as obras ao redor da Ponte de Pedra do Largo dos Açorianos devem ser retomadas nos próximos dias. Segundo a prefeitura de Porto Alegre, a Secretaria de Planejamento e Gestão liberou ontem os R$ 4,3 milhões necessários para reiniciar as intervenções.
As obras estão paradas desde o começo do ano, e a prefeitura não fala em um eventual novo prazo para a conclusão. A última previsão, de setembro do ano passado, era ter tudo pronto até a metade deste ano, em um cenário sem as interrupções que acabaram ocorrendo. A liberação do montante já havia recebido o aval, com condicionantes, por parte da Secretaria Municipal da Fazenda, há cerca de um mês. Os valores são oriundos do Fundo Municipal do Meio Ambiente.
A reforma na ponte propriamente dita já está concluída, com custo de R$ 590 mil. Estão faltando, agora, as intervenções no lago e a conclusão do projeto urbanístico para a área. Entre as medidas está previsto o rebaixamento de parte do leito do lago, como forma de preservar a alvenaria da ponte e recuperar o caráter original da estrutura.
Segundo o projeto da prefeitura, não é possível rebaixar o nível da água no lado do viaduto da Borges de Medeiros, uma vez que a presença de redes elétricas, telefônicas e de água e esgoto inviabilizam qualquer intervenção. Para garantir que a água não volte a cobrir os pilares da ponte, será necessário o uso de uma bomba hidráulica, além de tanques d'água para compensar o nível elevado do lençol freático. Assim, o projeto concluído prevê dois espelhos em níveis distintos, interligados por uma queda d'água.
As obras incluem também a instalação de passeios e esplanadas, além de equipamentos como bancos e arquibancadas. O Monumento aos Açorianos foi entregue em setembro do ano passado, após um processo que começou em 2013. Na mesma data da entrega foi confirmada a ordem de início das obras de urbanização no espaço, que incluem o entorno da ponte. Porém, com a troca de governo, o envio de recursos para as intervenções foi interrompido, e a Elmo Eletro Montagens Ltda., empresa vencedora do edital, retirou os tratores do canteiro de obras.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia