Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de abril de 2017. Atualizado às 11h06.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

música

05/04/2017 - 08h55min. Alterada em 05/04 às 11h10min

James Taylor e Elton John protagonizam noite de sucessos no Beira-Rio

Show de Elton John em Porto Alegre agitou público no Beira-Rio

Show de Elton John em Porto Alegre agitou público no Beira-Rio


JONATHAN HECKLER/JC
Cristiano Vieira
Durante uma hora e meia, enfileirou canções como You’ve got a friend, Wandering, Everyday, Handyman e Carolina. Bem comunicativo, relembrou sua primeira passagem pelo Brasil para o Rock in Rio em 1985 – Taylor tocou para um público de 200 mil pessoas no megafestival. Desde então, sua relação com o País se estreitou: iniciou amizade e parceria com nomes como Caetano Veloso, Milton Nascimento e Ivan Lins.
Pouco antes das 22h – mais exatamente, às 21h52min – sir Elton John entrou animadíssimo no palco, vestido com um extravagante casaco azul, cheio de brilhos e cuja inscrição “Fantastic” (fantástico) dava o tom do que estava por vir.
A sequência começou com The bitch is back e seguiu com Bennie, Blues, Daniel e os sucessos Rocket Man, Tiny Dancer, Your Song e Don’t Let The Sun Go Down on me – momento que emocionou o público, pois homenageou o amigo George Michael, falecido em dezembro passado.
Já era quase meia-noite quando John encerrou a impecável apresentação com Candle in the Wind, outro megassucesso. Teve gente que levou capa de chuva, esperando um aguaceiro. Mas o que se viu foi uma chuva de músicas clássicas, entoadas por afinados ícones e que fez vale a pena de quem aguentou quase quatro horas de show em pé.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia